Conheça Jesus


APRESENTAÇÃO

Todos gostariam de ter respostas claras às suas perguntas fundamentais:

* Donde venho?

* Para onde vou?

* Sou somente um produto do acaso?

* Minha vida tem algum sentido?

* O que significa ser cristão de verdade?

* Posso saber se realmente vou para o céu? 

Você só encontrará respostas verdadeiras e definitivas conhecendo Jesus!

Este livro vai ajudá-lo a compreender o que a Bíblia diz sobre Ele – e como Jesus quer transformar sua vida, dando-lhe novo rumo e propósito!

 Índice 

1. Por que vale a pena ser cristão – Introdução

* Ter um lugar no céu

* Jesus: único, incomparável, maravilhoso

2. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – em Seu testemunho

* O que Jesus Cristo diz de Si mesmo

* “Entrevistas” com Pedro, Paulo, João e outros contemporâneos de Jesus

* Homens e mulheres “comuns” testemunham o que experimentaram com Jesus

3. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – em Sua personalidade

* Sua grandeza

* Sua vida sem pecado

* Sua divindade

* Testemunhos de cientistas, escritores e pensadores 

4. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – em Seu amor

* O Calvário! 

5. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – em Seu perdão

* Informações básicas sobre o pecado

* Perdoar: por que só Jesus pode fazer isso?

* Jesus, Tu és diferente! 

6. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – em Sua Palavra

* O que o Antigo Testamento, o próprio Jesus e outras pessoas dizem sobre

Sua Palavra 

7. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – no que faz pelos Seus

* Ele faz tudo novo

* Deus não mais é Juiz, Ele é Pai

* Ele dá forças para o dia-a-dia

* Ele conduz os Seus ao maravilhoso alvo 

8. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – em Sua volta

* Jesus virá: primeiro para o arrebatamento, depois para estabelecer Seu

reino 

9. Jesus: único, incomparável, maravilhoso – na recompensa celestial que dá aos filhos de Deus

* Semelhantes a Jesus

* Herdeiros de Deus

* Direito de morar no céu

* Alegria eterna

* Não ter mais perguntas

* Coroas

* Amor perfeito

* E muito mais 

10. Como você pode tornar-se cristão hoje

1. POR QUE VALE A PENA SER CRISTÃO – INTRODUÇÃO 

Vamos perguntar-nos concretamente se vale a pena ser cristão, apesar de vivermos em um país considerado cristão, com raízes e tradições cristãs.

Que valor tem para nós o cristianismo, o verdadeiro cristianismo, nos dias de hoje?

Voltaire, ateu convicto, foi convidado certa vez por Frederico o Grande, rei da Prússia. Na hora dos brindes, ele ergueu sua taça e disse, zombando:

“Troco meu lugar no céu por um marco prussiano”. Um silêncio constrangedor dominou o ambiente por alguns instantes, até que outro convidado à mesa do rei voltou-se para Voltaire e respondeu: “Meu senhor, na Prússia temos uma lei: quem tem algo para vender deve provar que o objeto à venda realmente lhe pertence. O senhor pode comprovar que possui um lugar no céu?”

Possuir um lugar no céu – é isso que realmente importa! A Bíblia nos mostra a condição para recebê-lo: ter genuína unidade de vida com Jesus! Isso acontece através do novo nascimento (veja João 3.1-8). Nascemos de novo espiritualmente pela fé pessoal em Jesus Cristo, e assim nos tornamos filhos de Deus: “Mas, a todos quantos o receberam (a Jesus), deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus (renascerem espiritualmente), a saber, aos que crêem no seu nome” (João 1.12). Freqüentemente se ouve: “Afinal, todos são filhos de Deus!” Mas, conforme a Bíblia, isso não é verdade!

Trata-se realmente de um grande engano, que leva muitas pessoas a se acomodarem e tranqüilizarem numa falsa segurança com relação ao seu destino eterno. Todos os homens são criaturas de Deus, mas filhos de Deus – os únicos que terão um lugar no céu – são somente aqueles que nasceram de novo através do Espírito Santo, como Jesus disse: “Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito Santo não pode entrar no reino de Deus” (João 3.5).

 Quem nasceu de novo, como Jesus explicou, tem a confirmação e o testemunho do Espírito Santo em seu coração: “Agora sou um filho de Deus!” Isso não é sinal de orgulho, e sim de humildade, pois a pessoa salva não se baseia mais em suas próprias obras, mas unicamente no Senhor Jesus Cristo. Tal pessoa reconheceu que era pecadora e que não podia ser salva por boas obras, nem por qualquer outra coisa. Foi por isso que ela chegou-se a Jesus com o pedido: “Meu Salvador, por favor, salve-me!” O Senhor não apenas ouve essa oração, Ele também a atende: Jesus regenera – faz renascer espiritualmente – quem O aceita como Salvador em seu coração.

Em Apocalipse 3.20 Ele diz: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.” Se você abrir a porta da sua vida para Jesus, Ele entrará e a transformará.

Como conseqüência, o Espírito Santo lhe dará a certeza: “Agora sou propriedade de Jesus, agora estou salvo, agora vou para o céu!”

Jesus: único, incomparável, maravilhoso – Jesus não pode ser comparado a nada, nem a ninguém! Ele é o Cristo, o Filho do Deus vivo – e por isso vale a pena segui-lO e ser cristão!

Vamos ler apenas alguns dos muitos textos da Bíblia sobre Jesus Cristo:

 – Jesus “é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis… Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele tudo subsiste” (Colossenses 1.15-17).

– “Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Filipenses 2.6-11).

2. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – EM SEU TESTEMUNHO

No Evangelho de João encontramos uma série de testemunhos de Jesus sobre Si mesmo, por exemplo:

– “Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede” (João 6.35).

– “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” (João 8.12).

– “Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem” (João 10.9).

– “Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas” (João 10.11).

– “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (João 11.25).

– “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6).

– “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor” (João 15.1).

Quando a samaritana disse a Jesus: “Eu sei… que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier, nos anunciará todas as coisas” (João 4.25-26), o Senhor lhe respondeu: “Eu o sou, eu que falo contigo” (versículos 25-26).

Quando Pilatos perguntou: “Logo, tu és rei?”, Jesus respondeu: “Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz” (João 18.37).

Os discípulos ouviram todos esses testemunhos de Jesus sobre si mesmo e viram Suas obras e Seus milagres. Imaginemos estar frente a frente com alguns dos primeiros cristãos, tendo a oportunidade de entrevistá-los acerca de sua fé em Jesus Cristo. Talvez acontecessem os seguintes diálogos:

PEDRO

  Pedro, afinal de contas, por que você tornou-se cristão? Você era um homem que sabia se impor. Você tinha profissão e sustento próprios. Você era bem casado e sua sogra era muito querida. Você era um líder nato e um judeu legítimo, consciente da realidade. Você sabia o que queria na vida. Você não parava para pensar por muito tempo, desembainhando a espada com rapidez. Por que você tornou-se cristão? Por favor, responda-nos em poucas palavras!

 – Sim, posso fazê-lo de maneira breve e concisa: “Nós temos crido e conhecido que tu és o santo de Deus” (João 6.69). “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16.16). Em outras palavras: Eu e os outros apóstolos convivemos com Jesus, ouvimos o que Ele pregava, conhecemos Sua maneira de viver, pois estivemos com Ele quase diariamente por três anos. Por isso, agora estou bem certo: Jesus é realmente o Cristo prometido! E por essa razão, como judeu, tornei-me crente em Jesus.

PAULO

Paulo, por que você tornou-se cristão? Você era fariseu e se empenhava com todas as forças para defender a lei de Deus. Você era um homem intelectual e culto. Mas você odiava a Jesus e Sua Igreja, perseguindo os crentes até a morte. Você queria obrigar os Seus seguidores a negar o Nome de Jesus. Por que hoje tudo é tão diferente em sua vida?

– Sou um seguidor de Jesus porque uma coisa extraordinária aconteceu comigo quando me encontrava a caminho de Damasco, para perseguir os crentes de lá:

“… indo eu caminho fora, vi uma luz no céu, mais resplandecente que o sol, que brilhou ao redor de mim e dos que iam comigo. E, caindo todos nós por terra, ouvi uma voz que me falava em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões. Então, eu perguntei: Quem és tu, Senhor? Ao que o Senhor respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues” (Atos 26.13-15).

– E isso produziu uma grande mudança em sua vida, não foi?  

– Sem dúvida!

– Antes do episódio de Damasco você estava empenhado com todo o seu zelo em sufocar a fé das pessoas em Jesus Cristo, que estava se alastrando cada vez mais. Você certamente poderia ter tido uma carreira brilhante pois era um fariseu muito conceituado. Mas hoje, alguns anos depois, o que você pensa sobre Jesus?

– “Uma coisa tornou-se bem clara para mim: todas as outras coisas perdem o valor quando comparadas com o ganho inestimável de conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor. Deixei de lado todas as outras coisas, achando que tudo valia menos do que nada, a fim de ter a Cristo” (Filipenses 3.8, A Bíblia Viva).

“…em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus” (Atos 20.24).

JOÃO

João, porque você e seu irmão Tiago tornaram-se cristãos, abandonando o barco de pesca do seu pai? Vocês eram homens de personalidade tão marcante, que chegaram a ser chamados de “filhos do trovão”! A expressão “com eles não se brinca”, poderia muito bem ser aplicada a vocês. Mas de repente, João, você passa a ser chamado de “apóstolo do amor”. Como se explica isso?

– Explico com prazer: “O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada)” (1 João 1.1-2).

A Bíblia Viva diz: “Cristo estava vivo quando o mundo começou, entretanto eu mesmo O vi com os meus próprios olhos e O ouvi falar. Eu toquei nEle com as minhas próprias mãos. Ele é a mensagem da Vida enviada por Deus. Este que é Vida que vem de Deus foi revelado a nós e nós asseguramos que O vimos; eu estou falando de Cristo, Aquele que é a Vida eterna. Ele estava com o Pai e depois foi revelado a nós.”

– Você está afirmando que a vida de Jesus e a vida que Ele dá aos que O seguem é eterna?

– De fato, pois: “o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo” (1 João 1.3).

– João, por favor, desculpe-me, mas você tem certeza que está perfeitamente sóbrio? Você sabe o que está dizendo? Com essa declaração você está colocando Jesus Cristo acima de todas as pessoas que viveram até hoje! Você está consciente de estar concedendo a Jesus uma grandeza que excede de longe a todos os outros “grandes” deste mundo?!

– Claro! “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (João 1.14).

– Mas João, será que você não está exagerando cada vez mais? Você percebe que, com o que acabou de dizer, está afirmando que em Jesus vemos o Pai?

Obviamente você está aludindo ao Tabernáculo. Lá a glória de Deus se manifestava, e você afirma que Jesus é essa glória? Você já imaginou os israelitas ouvirem o que você está dizendo…!?

– Não se preocupe, sei muito bem o que digo. Pois, “ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito (Jesus), que está no seio do Pai, é quem o revelou” (João 1.18).

– João, por favor, permita-me citar um comentário escrito sobre o que você acabou de dizer: “Para os judeus não havia nada maior que a Lei. O maior anseio de todos os homens, no fundo, é ver a Deus. E aqui está quem é maior que a Lei. Aqui está a satisfação de todos os anseios: através de Jesus, que é inteiramente um com o Pai e busca exclusivamente o que é de Deus, ficamos conhecendo tudo o que é essencial sobre Deus. Por Seu intermédio obtemos tanto a graça como a sabedoria.” Não é verdade? Você certamente concorda com isso?!

– Sim, esse comentário reflete muito bem o que estou dizendo.

A SAMARITANA DE SICAR

Os samaritanos de Sicar eram homens, mulheres e crianças, jovens e velhos.

Pergunto-lhes: porque vocês tornaram-se cristãos? Por acaso, vocês deram ouvidos às palavras de uma mulher?

– Não, não foi o que fizemos. Deixamos bem claro para a mulher que não estávamos apenas acreditando no que ela nos contava: “Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo” (João 4.42).

O CENTURIÃO AO PÉ DA CRUZ

Como centurião romano você certamente viu muitas pessoas morrendo na cruz e provavelmente também comandou a crucificação de Jesus. Além disso você era devotado de corpo e alma ao imperador romano, que reivindicava ser deus.

Sua profissão, seu salário, seu futuro e até sua vida estavam em jogo nessa execução. Imagino que sua posição como centurião exigia maturidade e visão, e que você já tinha sido aprovado em situações difíceis anteriormente…  

– Sim, eu estava acostumado com tudo. Conheci muitas pessoas, conheci soldados heróicos e oficiais nobres, dignos de admiração. Vi muita gente morrendo. Vivenciei seus últimos momentos e ouvi seus gritos, suas blasfêmias e seus lamentos. Mas ninguém morreu como Jesus! Eu O ouvi orando pelas pessoas que O crucificavam. Observei-O falando com Sua mãe e com um dos Seus discípulos, mesmo em meio ao maior sofrimento. Presenciei o diálogo que Ele teve com um malfeitor crucificado ao Seu lado, a quem prometeu o reino dos céus. Também ouvi quando Ele clamou: “Está consumado!”

Quem de nós poderia falar algo semelhante no final de sua vida? A vida de Jesus demonstra que Ele fez tudo de maneira correta e concluíu com absoluta perfeição tudo o que começou. Isso tudo não me permitiria outra conclusão do que dizer: “Verdadeiramente, este homem era o filho de Deus” (Marcos 15.39).

PESSOAS DO PRESENTE

Pessoas que vivem em nossos dias também testemunham como conheceram o Senhor Jesus e que efeitos isso produziu em suas vidas. A seguir, alguns trechos de cartas que recebemos:

* Em minha mocidade não ouvi falar muito de cristãos autênticos, nem fiquei sabendo de pessoas que seguiam a Jesus de todo o coração. Estudei teologia e tornei-me pastor, mas por longos anos o fui sem conhecer a Cristo. Estive muito envolvido com questões sociais e tentei ajudar onde havia necessidades, mas só agora sei que em meio a todas as minhas atividades faltava o mais importante: conhecer a Jesus. Agora Ele tornou-se meu Senhor. Agora eu O encontrei, ou melhor, Ele me encontrou! Hoje realizo minha tarefa de pastor de uma maneira completamente diferente: tento falar de Jesus às pessoas e procuro levá-las a Cristo. O interesse por todas as outras questões não diminuiu, pelo contrário, tornou-se ainda mais profundo. Meu alvo principal, agora, é ajudar a edificar a Igreja de Jesus, contribuindo de maneira decisiva, através da transformação interior de vidas, para auxiliar também na solução das outras questões.

* Fui infiel à minha esposa por 23 anos, mas ela me ama mais do que nunca, mesmo que atualmente eu esteja na prisão. Nos primeiros dias em que fiquei preso, quando não via saída para minha situação, nem perspectivas para minha vida, pensei em acabar com tudo. Mas as coisas aconteceram de uma forma bem diferente. O Senhor não permitiu que eu me suicidasse e encontrei a fé inabalável em Jesus, o Senhor. Logo escrevi uma carta à minha esposa e pedi que ela me enviasse uma Bíblia. Ela fez isso imediatamente e me escreveu o seguinte: “Esta é a Bíblia que ganhamos no dia do nosso casamento. Da outra eu mesma preciso”. Jamais em toda a minha vida chorei tanto como na época em que comecei a ler na “nossa” Bíblia de casamento.

Tive que ser preso para dar valor à Palavra de Deus! Pois antes eu sempre dizia: “Não tenho tempo”, que é o título de um folheto que li. Mas agora eu sei o que é mais importante na vida: seguir a Jesus!

* Já fazem mais de quarenta anos desde que reconheci que havia pecado contra Deus e contra os homens, e que o meu pecado me separava de Deus, porque Deus, sendo justo, julga e condena o pecado. Tornou-se claro para mim que esse julgamento significava condenação eterna. Mas ao mesmo tempo passei a ouvir as boas-novas de salvação: quem reconhece seus pecados e os confessa ao Senhor Jesus Cristo, pedindo perdão, pela fé, recebe perdão e vida eterna. Essa maravilhosa oferta de Deus me tocou profundamente, e de coração agradecido eu a aceitei.

* Quando volto ao passado em pensamentos, só posso me admirar, agradecer a Deus e exultar interiormente! Passei por altos e baixos, infelizmente também em minha vida de fé, entristecendo ao Senhor e a mim mesmo, mas Ele continuou sendo o mesmo bom e fiel Pastor que sempre tem sido em minha vida! Ele Se preocupa com os Seus filhos! Só quem já o experimentou sabe o que significa ter a certeza de que Ele jamais abandona os Seus em meio aos problemas e aflições da vida e que Sua ajuda nunca chega tarde demais!

Jamais me arrependi de minha decisão de ser cristão e de entregar meu coração a Jesus, que tomei há tantos anos atrás. Ao contrário: hoje não consigo entender como é possível viver sem Jesus nestes dias difíceis, quando todos os valores são invertidos e onde a injustiça literalmente se alastra. Mas tudo isso não é tão importante, é apenas o momento presente. O que realmente importa é nosso futuro, que, conforme as palavras das Sagradas Escrituras, será maravilhoso!

* Fui batizado ainda bebê na igreja católica e cresci seguindo os seus ensinamentos. Mais tarde, pela graça de Deus, encontrei a Cristo e aceitei-O como meu Salvador e Senhor. Fui a uma reunião caseira de cristãos que estudam a Bíblia e louvam ao Senhor, que eu aprecio e onde me sinto muito bem. A Palavra de Deus tem se tornado cada vez mais importante para minha vida. A Bíblia é meu livro preferido! O que eu mais quero é entender a Palavra e viver fazendo a vontade do Senhor.

* Fui assistir a uma pregação sua porque uma conhecida, que não dirige, pediu-me que eu a levasse até lá. No final do culto você convidou os presentes a se entregarem a Jesus. Tornou-se claro em meu coração que esse convite era também para mim, e eu o aceitei. Realmente, nesse dia o Senhor Jesus me chamou e agora estou cheia de alegria e de gratidão! Sou médica, e minha profissão exige muito esforço, mas agora eu sei que Deus é quem me dá a força de que eu preciso a cada dia. Ele sabe o que pode exigir de mim.

Justamente agora tenho duas semanas de férias, duas semanas de paz e tranqüilidade para admirar as coisas maravilhosas da natureza que o Senhor criou, e tenho tempo para conversar com Ele e de pedir-Lhe que me ajude a cuidar dos meus pacientes com carinho e dedicação.

Todos estes testemunhos combinam com o que alguém disse certa vez, baseado em Filipenses 2.9 – “Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome”: “Para muitos, Jesus é apenas uma figura apropriada para uma pintura, o herói de um romance, um belo modelo para uma escultura ou o tema para uma canção. Mas para os que ouviram Sua voz, experimentaram Seu perdão e sentiram Suas bênçãos, Ele é aconchego, luz, alegria, esperança e salvação, um amigo que não nos abandona jamais, que nos levanta quando estamos prostrados”.

3. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – EM SUA PERSONALIDADE – SUA GRANDEZA

Uma edição da “Enciclopédia Britânica” usa 20.000 palavras para descrever a pessoa de Jesus. Essa descrição ocupa mais espaço que a de Aristóteles, Cícero, Alexandre, Júlio César, Buda, Confúcio, Maomé ou Napoleão Bonaparte.

Eis o que disseram sobre Jesus algumas personalidades conhecidas:  

Rousseau: “Conseguir inventar ou criar a história de uma vida como a de Jesus seria um milagre maior do que foi Sua existência real.”

Napoleão, que cobriu de guerra a metade da Europa, escreveu em seu diário ao final de sua vida: “Com todos os meus exércitos e generais, por um quarto de século não consegui subjugar nem um único continente. E esse Jesus, sem a força das armas, vence povos e culturas por dois mil anos.”

Ao conhecido historiador H. G. Wells foi perguntado: quem mais influenciou e marcou a história? Ele respondeu que, considerando a grandeza de uma personalidade conforme os aspectos históricos, a pessoa de Jesus Cristo está em primeiro lugar.

E o historiador Kenneth Scott Latourette afirmou: “Quanto mais o tempo passa, mais óbvio se torna que Jesus, por Sua influência na história, viveu neste planeta a vida de maior significado para a humanidade. E Sua influência parece aumentar mais e mais”.

Ernst Renan fez a seguinte observação: “Na área religiosa, Jesus é a figura mais genial que jamais viveu. Seu brilho é de natureza eterna e Seu reinado jamais acaba. Ele é único em qualquer sentido e não pode ser comparado a ninguém. Sem Cristo não se entende a história.”

A Bíblia nos ensina que Jesus Cristo é maior que tudo. Só na Epístola aos Hebreus encontramos as seguintes afirmações:

– Jesus é maior que os anjos (Hebreus 1.1 a 3.19).

– Jesus é maior que o sacerdócio de Arão (Hebreus 4.1 a 6.20).

– Jesus é maior que as revelações do Antigo Testamento (Hebreus 7.1 a 8.13).

– Jesus é maior que todos os santuários e sacrifícios do Antigo Testamento (Hebreus 9.1 a 10.39).

– Jesus é o Autor e Consumador de toda a fé (Hebreus 11.1 a 12.3).

SUA VIDA SEM PECADO

Você conhece a oração que o próprio Jesus nunca orou? Trata-se da oração do Pai Nosso. Jesus a ensinou, mas Ele próprio não a orava porque não havia necessidade, principalmente o pedido: “…perdoa-nos as nossas dívidas…”

Jesus era sem culpa, sem pecado, completamente puro. Por isso Ele nunca teve de arrepender-se de alguma coisa que tivesse feito; por essa razão Ele nunca precisou pedir perdão pelos Seus próprios pecados, nem pedir desculpas aos outros. Ele sempre se humilhava em lugar dos outros, Ele levou nossos pecados sobre Si. E Ele orou: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”. Jesus não tinha pecado, por isso era Santo e Justo:

– A mulher de Pilatos mandou dizer ao marido: “Não te envolvas com esse justo.”

– O próprio Pilatos teve de admitir: “Não vejo neste homem crime algum.”

 – O malfeitor na cruz exclamou: “…este nenhum mal fez.”

 – O centurião romano junto à cruz teve de concordar: “Verdadeiramente, este homem era justo.”

– Até os demônios reconheceram: “Bem sei quem és: o Santo de Deus!”  

Resumindo: Jesus Cristo não teve pecado – ao contrário de todas as outras pessoas e dos fundadores de religiões que já viveram.

H. Bender escreveu sobre Jesus: “Em meio à história do mundo encontra-se uma figura, inserida nessa história em todos os seus aspectos, mas que a tudo sobrepuja. É Jesus Cristo. Ele é completamente diferente, Ele é singular. Ele é o único que podia ousar colocar-se diante de uma multidão hostil e fazer-lhe a pergunta: ‘Quem dentre vós me convence de pecado?’ A única resposta foi o silêncio da platéia, uma resposta eloqüente. Sua vontade estava plenamente inserida na vontade de Deus. Sua postura era completamente dirigida por Deus e direcionada para Deus. Nele não havia discrepância, não havia imperfeição alguma.”

Em Romanos 8.3 está escrito: “…Deus pôs em ação um plano diferente a fim de nos salvar. Enviou seu próprio Filho, em corpo humano como o nosso – com a exceção de que o nosso é pecador – e destruiu o controle do pecado sobre nós, dando-Se a Si mesmo como sacrifício por nossos pecados” (A Bíblia Viva, veja também 1 Pedro 2.22 e Hebreus 4.14).

SUA DIVINDADE

Pasteur, importante médico e cientista francês, formulou assim sua opinião acerca da divindade de Jesus: “Em nome da ciência eu proclamo a Jesus Cristo como Filho de Deus. Meu senso científico, que valoriza muito a relação entre causa e efeito, compromete-me a aceitá-lo como fato. Minha necessidade de adorar encontra nEle a mais plena satisfação.”

Que Jesus Cristo é o Filho de Deus, é testemunhado em inúmeras passagens do Antigo e do Novo Testamento.

A Bíblia apresenta Jesus como sendo ao mesmo tempo perfeitamente humano (embora sem pecado) e perfeitamente divino (veja também Isaías 9.5-6; João 1.1-2; 3.16; 8.58; Colossenses 1.15-19; 1 Timóteo 3.16; Hebreus 13.8; 1 João 5.20). A carta aos Filipenses diz de Jesus: “pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens” (Filipenses 2.6-7). Em outras palavras: Ele não agarrou-se à Sua divindade, mas humilhou-se por amor a nós. Em outro lugar o próprio Jesus disse: “Eu e o Pai somos um” (João 10.30).

Em Colossenses 1.19-20 está escrito: “Porque aprouve a Deus que, nele, residisse toda a plenitude e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus.” A Bíblia Viva diz: “Porque Deus queria que tudo dEle mesmo estivesse em seu Filho. Foi por meio daquilo que seu Filho fez que Deus abriu um caminho para que tudo viesse a ele, todas as coisas no céu e na terra, pois a morte de Cristo na cruz trouxe para todos a paz com Deus através de seu sangue.” Jesus é o único em quem Deus realmente habitou plenamente (portanto, Ele não é apenas mais um dentre os muitos fundadores de religiões!). Jesus é “Aquele que resgatou todo o Universo e, portanto, também chegará ao objetivo com ele…” Por isso, em profunda adoração, só podemos citar a passagem de Isaías 46.5: “A quem me comparareis para que eu lhe seja igual? E que coisa semelhante confrontareis comigo?”

Se você, prezado leitor, prezada leitora, concordou com o testemunho que a Escritura dá acerca de Jesus Cristo, se você reconheceu a singularidade de Jesus, o mais sensato não seria decidir-se por uma vida com Jesus? Se Jesus é tudo aquilo que Ele afirma ser, isso é razão mais do que suficiente para tornar-se cristão! Faça isso agora, se ainda não o fez! Tome a decisão consciente de entregar a Ele toda a Sua vida e de seguir Seus passos! Pois, se Jesus é o que diz de Si mesmo, se é o que a Bíblia diz dEle e se é o que muitas pessoas experimentaram, então todos precisam dEle para receber o perdão dos pecados e para entrar no reino de Deus. Com Ele ganhamos tudo, sem Ele tudo perdemos, para todo o sempre!

Hamlet, de William Shakespeare, diz: “Perderei, quer viva, quer morra.” O apóstolo Paulo tinha a mais absoluta certeza: “para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Filipenses 1.21). Ele sabia que ganharia em qualquer circunstância! Por isso você deveria impreterivelmente tornar-se cristão, pois sem Jesus você perderá tudo!

Aos 16 anos, Friedrich Nietzsche, chamado “o grande filósofo do ateísmo”, escreveu a um amigo sobre a pessoa de Jesus Cristo: “Eu sei que, se não O encontrar, não terei respostas para minha vida.” E no final de sua vida, durante a qual rejeitou a Cristo, ele escreveu: “Ai daquele que não tem lar!”

 O dramaturgo suíço Friedrich Dürrenmatt reconhece em sua obra “Os Físicos”: “Quando deixei de temê-lO, minha sabedoria destruiu minha riqueza.” Mas quem tem a Jesus é rico em tudo: “Porque, em tudo, fostes enriquecidos nele” (1 Coríntios 1.5).

4. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – EM SEU AMOR

Lemos em 1 João 3.16 sobre Jesus Cristo: “Nisto conhecemos  amor: que Cristo deu a sua vida por nós…” A morte de Jesus na cruz do Calvário é a prova do eterno, imutável e inescrutável amor de Deus por um mundo perdido – por cada um de nós! O sangue derramado de Jesus é a garantia do amor de Deus para com as pessoas sobrecarregadas de culpa e distantes dEle: “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5.8).

Jesus, como Filho de Deus, era o único que podia morrer pelos pecados da humanidade. Ele o fez também por você! Em todas as outras religiões procuramos em vão por algo que seja comparável à morte de Jesus por nós. O Senhor é amor em Si mesmo; amor é uma característica do Seu ser. Por isso Ele não pode separar-se do Seu amor. Esse amor começou quando Deus começou – e Ele não tem começo nem fim. Alguém o formulou desta maneira: “Deus é o que é, principalmente por Seu amor.” E Friedrich Bodelschwingh cunhou a frase: “Por esta terra não passa ninguém que não seja amado por Deus.” O próprio Senhor diz: “Com amor eterno eu te amei” (Jeremias 31.3). Portanto, não há uma só pessoa vivendo sobre a face da terra que não seja amada por Deus.

 Deus ama a cada pessoa da mesma maneira. Isso significa que Ele não ama a ninguém mais do que a outro. Agostinho definiu esse amor de Deus de maneira muito apropriada: “Deus ama tanto a cada um de nós como se não existisse ninguém mais a quem Ele pudesse dar Seu amor.”

 Jamais alguém poderá apresentar-se diante de Deus e afirmar que não foi amado por Ele. Estou profundamente convicto de que, quando os perdidos chegarem diante do trono de Deus e virem o Cordeiro de Deus, ficarão perplexos por não terem aceitado o amor que Jesus lhes ofereceu. Se existisse apenas um único pecador perdido nesta terra, Deus em Seu amor ilimitado teria feito por ele o que fez por todas as pessoas do mundo, através de Jesus Cristo.

É justamente isso que o Senhor Jesus quer expressar com a parábola da ovelha perdida: “Qual, dentre vós, é o homem que, possuindo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la? Achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo. E, indo para casa, reúne os amigos e vizinhos, dizendo-lhes:

Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que, assim haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (Lucas 15.4-7).

Martim Lutero, com sua linguagem forte, descreveu certa vez o amor de Deus com as seguintes palavras: “Deus é um forno ardente, tão cheio de amor que todo o céu e toda a terra estão envolvidos pelo seu calor.”

5. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – EM SEU PERDÃO – O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE O PECADO

Pecado significa “errar o alvo”. Isso que dizer que as pessoas vivem longe do caráter santo de Deus. Pecado é tudo o que não está de acordo com o ser de Deus: todo ato, toda tendência, toda situação. Quando o pecado entrou na raça humana através de Adão, este tornou-se uma pessoa completamente diferente, corrompida e decadente. E todos os seus descendentes herdaram essas características negativas de sua personalidade. A perfeição original do homem foi totalmente destruída. Precisamos apenas dar uma olhada nas notícias diárias para ver quanto a humanidade está degenerada.

O pecado se infiltrou em todas as categorias sociais da humanidade. Nas famílias e nos matrimônios, na sociedade e entre os povos reina – de maneira crescente – a infidelidade, a mentira, o ódio, a guerra e a morte.

A solidariedade e o altruísmo vão dando lugar ao individualismo e ao egoísmo. Por toda parte existem discórdias, conflitos e guerras. A Bíblia ensina que o caráter da humanidade está corrompido, incapaz de produzir o bem (Romanos 3.10-12).

Além disso, a Bíblia ensina que o ser humano está corrompido em sua disposição mental (Romanos 1.28), no seu entendimento (2 Coríntios 4.4), tem cauterizada sua própria consciência (1 Timóteo 4.2) e está obscurecido e cego em seu entendimento (Efésios 4.18; 2 Coríntios 4.3-4). Na verdade, somos tão profundamente corrompidos em nosso ser, que não nos tornamos pecadores pelos pecados que cometemos; cometemos pecados porque somos pecadores por natureza. Além disso, todo pecado que cometemos (em pensamentos, palavras ou ações) é acrescentado em nossa lista de culpa diante de Deus. E assim como é inútil tentar lavar o carvão para torná-lo branco, tampouco o homem pode livrar-se do pecado através de seus próprios esforços.

É errado pensar que somente pessoas “boas” chegam ao céu e que as “más” vão para o inferno. Nem bons nem maus vão para o céu, mas somente aqueles que receberam a justiça de Deus pela graça e tomaram posse dela pela fé. A Palavra de Deus não deixa a menor dúvida: “Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque” (Eclesiastes 7.20, veja também Romanos 3;10-12).

Talvez agora seja possível entender que existe uma única justificação para o homem: não a própria, mas exclusivamente a obtida através de Jesus Cristo, o Justo. Existe perdão em Jesus. A Bíblia diz: “Ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã” (Isaías 1.18).

Realmente, o perdão de Jesus é único, incomparável e maravilhoso!

August Winning, ex-presidente na Prússia Oriental e ardoroso líder dos trabalhadores, confessou: “Eu andava longe, fugindo de Jesus, mas aos poucos fui me aproximando dEle. Reconheci que o ser humano é profundamente mau, sem exceção. Nem todos são criminosos, mas cada um de nós tem pensamentos, desejos e anseios tão pecaminosos que são comparáveis a um homicídio. É absolutamente impossível tentar voltar a Deus com tamanha carga de maldade, sem que antes aconteça algo conosco. Entendo que Deus tem que condenar-me pelo meu pecado. Mas vejo Seu amor, do qual toda a vida dá testemunho, e percebo que Ele não quer condenar. Ele nos estende Sua mão.

Essa mão de Deus é Jesus Cristo!”

“Quem é como Jesus?” Esse era o título de um artigo que li e transcrevo:

“Jamais cansaremos a Jesus; podemos lançar todos os nossos fardos e anseios sobre Ele. Jesus está sempre disposto a nos ajudar; Ele fala conosco com o mesmo amor de sempre e ouve o que temos a Lhe dizer. Não existe nome superior ao nome “Jesus”. Ele é mais glorioso que o nome de César, mais sonoro que o de Beethoven, mais vitorioso que o nome de Napoleão, mais eloqüente que o de Demóstenes e mais paciente que o de Lincoln. O nome de Jesus representa vida e amor. Seu nome é como um perfume maravilhoso. Quem consegue solidarizar-se com uma pessoa sem pátria como Jesus o faz? Quem, como Jesus, consegue dar as boas-vindas a um filho pródigo que volta ao lar? Quem, além de Jesus, consegue libertar um alcoólatra de seu vício?

Quem consegue encher de luz e esperança um cemitério repleto de túmulos?

Quem, além de Jesus, consegue fazer de uma prostituta das ruas uma rainha diante de Deus? Quem consegue juntar as sofridas lágrimas humanas em Seu odre? Quem consegue nos consolar em nossa tristeza, como Jesus o faz?”

Muitas pessoas tentam compensar seus erros fazendo boas obras, mas isso não as ajuda em nada. Outras tentam lavar suas almas através de exercícios espirituais, mas isso também não funciona. Outras se suicidam impelidas por uma consciência desesperada. Mas isso também não as liberta, pois a alma continua vivendo.

Sobre a terra, somente o Filho do Homem, Jesus Cristo, tem o poder de perdoar pecados (Mateus 9.6). Só Ele pode tirar nossa culpa e tomar sobre Si os pecados de todos os homens porque só Ele é o Filho de Deus, só Ele é sem pecado, só Ele é justo e não nasceu da semente de Adão, pois tornou-se homem pelo Espírito Santo.

Assim como todas as pessoas nasceram em pecado e tornaram-se pecadoras através do primeiro Adão, todos os que crêem em Jesus, o “segundo Adão”, como o chama a Sagrada Escritura, tornam-se justificadas diante de Deus (Romanos 5; 1 Coríntios 15.45-48). Assim como em Adão os pecados nos são imputados, em Jesus eles deixam de nos ser atribuídos – recebemos Sua justificação dos pecados! Assim, Jesus preparou o caminho para nós, tornando-se a porta para o reino de Deus.

Pedro anunciou triunfalmente às autoridades judaicas aquilo que posteriormente seria válido para todos os homens: “Deus, porém, com a sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados” (Atos 5.31). E em Atos 10.43 está escrito: “Dele todos os profetas dão testemunho de que, por meio de seu nome, todo aquele que nele crê recebe remissão de pecados”.

Miquéias foi um desses profetas. Ele exclamou cheio de temor: “Quem, ó Deus, é semelhante a ti, que perdoas a iniqüidade e te esqueces da transgressão do restante da tua herança? O Senhor não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia” (Miquéias 7.18). Quem se entrega a Jesus experimenta toda a graça do Seu perdão!

JESUS, TU ÉS DIFERENTE

Tu ficaste ao lado da mulher adúltera, quando todos se afastavam dela.

Tu entraste na casa do publicano, quando todos se revoltavam contra ele.

Tu chamaste as crianças para junto de Ti, quando todos queriam mandá-las embora.

Tu perdoaste a Pedro, quando ele próprio se condenava.

Tu elogiaste a viúva pobre, quando todos a ignoravam.

Tu resististe ao diabo, quando todos teriam sucumbido à sua tentação.

Tu prometeste o paraíso ao malfeitor, quando todos desejavam-lhe o inferno.

Tu chamaste Paulo para Te seguir, quando todos temiam-no como perseguidor.

Tu fugiste do sucesso, quando todos queriam fazer-te rei.

Tu amaste os pobres, quando todos buscavam riquezas.

Tu curaste enfermos, quando foram abandonados pelos outros.

Tu calaste, quando todos Te acusavam, batiam em Ti e zombavam de Ti.

Tu morreste na cruz, quando todos festejavam a páscoa.

Tu assumiste a culpa, quando todos lavavam suas mãos na inocência.

Tu ressuscitaste da morte, quando todos pensavam que estavas derrotado.

Jesus, eu te agradeço porque Tu és único!

 (autor desconhecido)

As diferentes religiões dão conselhos, recomendam princípios de vida e estabelecem regras de conduta, mas ninguém pode oferecer uma salvação que se compare à Salvação plena e completa de Jesus!

6. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – EM SUA PALAVRA

O historiador Philip Schaff escreveu sobre Jesus: “…Ele disse palavras de vida como jamais haviam sido pronunciadas antes dEle. Elas produziram efeitos jamais alcançados por qualquer outro orador ou poeta. Sem escrever uma única linha, Ele movimentou mais penas e forneceu mais material para pregações, discursos, discussões, obras de ensino, de arte e hinos do que todo o exército de grandes homens da antigüidade e da era moderna”.  

Outra pessoa expressou-se sobre as palavras de Jesus da seguinte maneira: “São as palavras de uma pessoa perfeita. Uma vez pronunciadas, elas não se calam.

Ao contrário, seu som fica cada vez mais forte, seu eco ressoa até nossa época e ainda hoje move os corações. Seu Evangelho é descrito como poder (dinamite) de Deus (Rm 1.16). Jesus jamais falou palavras vãs. Quando Ele falava, até a mais simples palavra pesava como uma rocha. Tudo o que Ele diz alcança o fundo, atinge o alvo, e seu eco continua ressoando nos corações.”

Apocalipse 19 descreve a volta de Jesus. Ali é dito que Ele voltará como Senhor dos senhores e Rei de todos os reis. Nesse contexto a Escritura diz: “…está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus” (Apocalipse 19.13).

O próprio Jesus profetizou que Seu Evangelho seria levado até aos confins da terra, o que acontece até os dias de hoje (Mateus 24.14). Jesus disse isso quando tinha apenas doze discípulos simples e falhos. Ele sabia que um deles iria traí-lO, que outro iria negá-lO e que quase todos iriam fugir de medo. Como era possível que Jesus fizesse uma profecia dessas diante de tais circunstâncias? Apenas por um motivo: porque Ele é a Verdade. Só Ele tem o poder de cumprir todas as promessas que faz.

Napoleão reconheceu no fim de sua vida: “Morro antes da hora, e meu corpo será devolvido à terra para tornar-se alimento para os vermes. Este é o destino reservado para o grande Napoleão. Que imenso abismo entre minha profunda miséria e o eterno Reino de Cristo, pregado, amado, louvado e espalhado por toda a terra.”

Jesus prometeu que as portas do inferno não prevaleceriam sobre a Sua Igreja (Mateus 16.18). Reinos e impérios, ditadores e poderosos sucumbiram.

Muitos deles foram inimigos dos cristãos, mas não conseguiram exterminar o cristianismo; pelo contrário, ele cresceu. Devemos ter em mente que ainda não existia a Igreja na ocasião em que Jesus fez essa promessa. Como era possível que Ele soubesse que as portas do Inferno não iriam prevalecer sobre os Seus seguidores? Porque Jesus é muito mais que um simples homem!

Jesus profetizou a destruição de Jerusalém e a dispersão dos judeus por todo o mundo, mas também profetizou seu restabelecimento antes da Sua volta (Lucas 21.24). Nossa geração é testemunha ocular do ressurgimento do Estado judeu. Jesus também profetizou que a identidade nacional do povo judeu não iria extinguir-se durante a Diáspora (Dispersão) que duraria séculos  (Jeremias 31.36; Mateus 24.34).

Joachim Langhammer escreve: “Israel é um milagre vivo. Trata-se de um povo que durante 4000 anos foi odiado e discriminado, combatido e derrotado – mas não pôde ser aniquilado. Pelo contrário! Não existe povo sobre a terra que se encontre tanto no centro dos acontecimentos atuais como o povo de Israel.”

Jesus falou: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão” (Marcos 13.31). Sua palavra é como uma rocha firme em meio às tempestades da vida! Milhares de anos de antagonismo e adversidades não conseguiram mudar em nada Sua Palavra.

Um comentário bíblico diz sobre essa afirmação de Jesus: “Se essas palavras não são verdadeiras, então o homem que as proferiu não é bom nem santo, mas um dos maiores tolos do mundo. Entretanto, elas são verdadeiras. Jesus é tudo aquilo que Ele disse ser: Criador, Senhor do tempo, Filho de Deus e, portanto, o próprio Deus. Ele criou um universo de sóis brilhantes e galáxias em movimento, dizendo que tudo isso passaria. Mas ao contrário de sóis em extinção e estrelas explodindo, Sua Palavra realmente não passou e jamais passará. De que maneira um verme como o homem poderia esquivar-se e fugir de uma realidade tão grandiosa?”

O Barão von der Ropp, engenhheiro e geólogo, escreveu: “As palavras de Jesus: ‘Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra’, levaram-me a estudar a história mundial do começo ao fim. Chama a atenção de qualquer um, que Cristo é de longe a personalidade mais influente em toda a história humana. Meus estudos terminaram com o reconhecimento de que os tempos antigos e modernos adquirem sentido apenas em Jesus, que somente Ele é a chave para a compreensão da história e que, na verdade, sem Jesus toda ela não faz sentido.”

Mas também as profecias do Antigo Testamento sobre o Messias têm seu cumprimento em Jesus. Mil e quinhentos anos antes de Seu nascimento foi profetizado, dentre muitas outras coisas:  

– que Ele viria da tribo de Judá (Gênesis 49.10).

– que Ele descenderia da casa de Davi (Isaías 11.1; Jeremias 33.21).

– que Ele nasceria de uma virgem (Isaías 7.14).

– que Ele viria ao mundo em uma pequena aldeia chamada Belém (Miquéias 5.1-2).

– que Ele morreria em sacrifício (Isaías 53.1-2).

– que Ele perderia Sua vida através de crucificação (Salmo 21.1-21).

– que Ele ressuscitaria dos mortos (Salmo 16.8-11; Isaías 53.10-12).

– que Ele voltaria à terra (Zacarias 14.4).

– que Ele apareceria nas nuvens do céu (Daniel 7.13).

Sobre a primeira vinda de Jesus há ao todo 330 profecias, que impressionam pela exatidão e são extremamente diferenciadas – e todas elas cumpriram-se literalmente e podem ser verificadas e comprovadas.

Em vão procuramos por profecias semelhantes acerca de qualquer outro grande homem da história ou sobre qualquer outra religião. Por exemplo, não existe uma única profecia sobre a vinda do “profeta” Maomé, de Buda ou de qualquer outro. Todas essas profecias somente podem referir-se a um único homem. Ele já cumpriu a maior parte delas, e da mesma forma cumprirá também as que ainda faltam: Jesus, o homem de Nazaré, o Filho do Deus vivo!

Ninguém além dEle, em toda a história do mundo, pode reivindicar para si esse direito. E Ele, este único, incomparável e maravilhoso Senhor, chama a você, prezado leitor, prezada leitora: “o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora” (João 6.37). Para onde iremos, senão a Jesus?

7. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – NO QUE FAZ PELOS SEUS

Para evitar mal-entendidos e excluir a possibilidade de auto-engano,  primeiro deve ser esclarecida a questão: “quem faz parte dos Seus”, quem pertence a Jesus?

A Bíblia nos dá uma resposta muito clara. O Senhor ressurreto diz:  

– “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo” (Apocalipse 3.20).

– “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (João 1.12).

– “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o filho de Deus não tem a vida” (1 João 5.12).

Aquele, portanto, que conscientemente decide receber a Jesus em seu coração passa a ser propriedade Sua – sobre a qual Ele tem direitos – e passa a fazer parte da família de Deus. Tal pessoa é um filho de Deus. Você é um deles? Se a resposta é não, então você deveria ainda hoje tomar a decisão de segui-lO. Veja no último capítulo como fazer isso. Faça-o logo, pois cada dia que passa sem que você seja de Jesus é um dia miserável, um dia perdido. Quem é propriedade de Jesus pode experimentá-lO no dia-a-dia. Você não apenas passa a ter uma maravilhosa esperança para o futuro, mas o seu presente também se torna imensamente rico e pleno de sentido!

Coisas grandiosas passam a acontecer na vida de quem se decide ou já se decidiu por Jesus:

1. O relacionamento com Deus não é mais de um pecador com um Juiz justo, mas a relação de um filho com seu Pai: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo” (1 João 3.1).

2. Filhos de Deus são amados do Pai celestial. O amor que Ele tem por nós não é um amor volúvel e inconstante, mas um amor eterno. Quando você abre seus olhos pela manhã e quando os fecha ao dormir, seu primeiro e seu último pensamento devem ser: “Sou aceito por Deus e amado por Ele com amor eterno!” Romanos 8.38-39 nos mostra toda a abrangência e a grandeza desse amor: “Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”.

3. Você adquiriu uma posição completamente nova, pois passou a ser nova criatura. “Começar tudo de novo”, é o desejo de muitas pessoas. Isso torna-se possível entregando a vida a Jesus. E assim, “se alguém está em Cristo é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (2 Coríntios 5.17).

4. Agora você pode levar a Jesus todos os dias seus problemas e suas dificuldades: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Filipenses 4.6-7). Quem, além de Jesus, poderia fazer-lhe uma oferta dessas?

5. Você pode ter certeza: “Tenho um Deus que é fiel, permanece fiel e cumpre Suas promessas.” A garantia de alcançar o alvo não está em você, mas no Senhor. Você pode confiar totalmente nEle nos dias bons e nos dias maus.

Ele não o abandona: “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1.6).

6. Você pode ter a certeza que qualquer pecado do passado, grande ou pequeno, leve ou pesado, conhecido ou secreto, está perdoado se você o confessou com sinceridade e pediu perdão de todo o coração. Através deste perdão perfeito, pleno e completo, você também estará liberto de toda e qualquer amarra oculta ou demoníaca. A partir de agora você não estará mais debaixo do poder de Satanás, mas passará a viver debaixo do domínio de Jesus: “Tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós, e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz; e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Colossenses 2.14-15). A Bíblia Viva diz: “Então Ele deu-lhes participação na própria vida de Cristo, porque lhes perdoou todos os pecados, e apagou as acusações confirmadas que havia contra vocês, a lista dos seus mandamentos a que vocês não tinham obedecido. Tomando esta lista de pecados, Ele a destruiu, pregando-a na cruz de Cristo. Deste modo Deus tirou o poder de Satanás de acusar vocês de pecado e exibiu publicamente ao mundo inteiro o triunfo de Cristo na cruz, onde foram tirados todos os pecados de vocês.”

Se você, depois de ter-se tornado filho de Deus, cometer algum pecado, – o que é comparável a um acidente – então isso é uma triste derrota. Mas, mesmo assim você não precisa desesperar. Você pode e deve arrepender-se por ter falhado, pedindo perdão ao Senhor Jesus e seguir adiante olhando para Ele: “Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” (1 João 2.1).

7. Sua vida passou a ter sentido! Muitas pessoas passam a vida inteira procurando pelo sentido da vida. O verdadeiro sentido da vida consiste em reconhecer a Deus e a Seu Filho Jesus Cristo, viver em plena comunhão com Ele e ter parte na vida eterna: “Também sabemos que o Filho de Deus é vindo e nos tem dado entendimento para reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1 João 5.20).

8. Uma pessoa que recebeu a Jesus em sua vida pode ter certeza de sua salvação eterna: “Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus” (1 João 5.13).

9. Quem está intimamente ligado a Jesus pode ter certeza que o Senhor lhe dá a força para superar o dia-a-dia com todos os seus problemas, grandes e pequenos. Tal pessoa não depende mais exclusivamente de si mesma, de sua força e de seus dons naturais, pois Deus: “Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor” (Isaías 40.29).

10. O Senhor também dá alegria e paz aos Seus. A vida de um cristão não é nada monótona, como muitos pensam. Pelo contrário, a fé em Jesus e a prática do discipulado tornam a vida interessante: podemos ter experiências de fé; podemos experimentar a Deus em nosso dia-a-dia! O Senhor nos prometeu essa alegria e essa paz: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou;  não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (João 14.27). “Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós e o vosso gozo seja completo” (João 15.11). E continua sendo verdadeiro o que Jesus disse: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10).

E agora pergunto a você, prezado leitor, prezada leitora: vale a pena tornar-se cristão?!

Seria uma ilusão concluir que a vida de um cristão é sempre um mar de rosas, que todos os dias brilha o sol, que não existem mais problemas e que tudo funciona com perfeição. Não é assim. A verdade é que a vida de um cristão que segue a Jesus de verdade pode ser uma vida muito atribulada e cheia de provações.

Filhos de Deus também não são poupados automaticamente de dores, enfermidades e sofrimentos e das angústias da vida. Mas tempos difíceis tornam-se suportáveis porque temos a certeza de que nada do que nos acontece anula as promessas de Deus.

Temos a mais absoluta certeza de que nossa vida está protegida em Suas mãos e que Ele nos protegerá em meio às crises e provações. Além disso tudo, temos ainda uma esperança viva para o futuro. Saber que as circunstâncias difíceis pelas quais um cristão tem de passar não são o fim de tudo, mas que existe uma glória posterior, dá-nos tranqüilidade, força e segurança.

Por isso vale a pena ser cristão!

8. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – EM SUA VOLTA

O Senhor Jesus fala de Si mesmo quando afirma: “Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até quantos o traspassaram. E todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Certamente. Amém! Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso” (Apocalipse 1.7-8).

Desde a eternidade Jesus é Deus – Ele esteve como homem sobre esta terra e morreu na cruz. Mas Ele ressuscitou dentre os mortos e voltará para reinar.

Disso já fala profeticamente o Salmo 72: “Domine ele de mar a mar e desde o rio até aos confins da terra… E todos os reis se prostrem perante ele; todas as nações o sirvam” (vv. 8,11). Jesus voltará primeiro para os que crêem nEle, arrebatando-os ao céu (veja João 14.1-6). Pouco depois Ele voltará visivelmente nas nuvens em glória para este mundo, julgará a terra e estabelecerá Seu reino. Todos os desenvolvimentos em nosso mundo caminham em direção a este alvo supremo: a volta de Jesus.

Theo Lehmann escreveu: “Jesus não foi daqueles que se destacaram por um certo tempo para depois desaparecerem nas brumas da história. Seu nome não é como o daqueles que aparecem em todos os jornais e poucos anos mais tarde jazem no esquecimento… Ele é o primeiro, o Criador deste mundo – e Ele é o último. Quando todos tiverem desaparecido – os ídolos e os deuses, as religiões e as ideologias, os grandes pensadores e os que edificaram imponentes obras arquitetônicas ou sufocantes masmorras – quando todos eles tiverem sumido das sacadas de seus palácios, quando tiverem caído de seus pedestais, quando tiverem perdido seus altos postos e tiverem virado pó – esquecidos, sumidos, afundados, quando todo este mundo sucumbir: Jesus existirá para sempre! Você não irá mais encontrar os deuses e os ídolos, os de antigamente e os de hoje. Mas a Jesus você vai encontrar sempre. No final da história está Jesus – também da história de sua vida.”

Em Atos 10.42 está escrito acerca de Jesus: “e nos mandou pregar ao povo e testificar que ele é quem foi constituído por Deus Juiz de vivos e de mortos”. Isso significa que virá o momento em que todos os homens estarão diante dEle, o único, incomparável e maravilhoso Senhor – uns eternamente salvos e outros, que rejeitaram a oferta divina da salvação em Jesus, eternamente perdidos. Por isso, você deveria impreterivelmente tornar-se cristão e não resistir mais a Ele! Resistir não apenas seria em vão, mas em seu próprio prejuízo.

Paulo tentou lutar contra Jesus por um certo tempo, mas quando Jesus o encontrou, a Bíblia relata: “E, caindo todos nós por terra, ouvi uma voz que me falava em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa é recalcitrares contra os aguilhões” (Atos 26.14). Albrecht, conhecido tradutor da Bíblia para a língua alemã, explica essa frase dizendo que ela é uma forma usual de linguagem dos gregos. Quando se falava dos aguilhões, fazia-se referência aos animais de carga. Ao empacarem, eles causavam muito dano a si mesmos, pois feriam-se quando se rebelavam contra os aguilhões que o condutor usava para fazê-los andar. A expressão significa: “é em vão que você está tentando resistir a mim”.

Jesus é único também por não se afastar dos pecadores. Ele não vira as costas para as pessoas, mas volta-se para elas. Foi por essa razão que Ele veio ao mundo, foi por isso que Ele morreu e ressuscitou. Ele ama a você como ninguém mais o ama, e hoje vem ao seu encontro com todo o Seu amor.

Ele é o único que tem o poder de perdoar todos os seus pecados, de recebê-lo em Seu reino e de dar-lhe vida eterna. Você não quer segurar Sua mão estendida agora mesmo?! Pois virá o dia em que se cumprirá literalmente a afirmação da Bíblia de que todos terão que reconhecê-lO, mas então será muito tarde para receber a salvação: “Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Filipenses 2.9-11).

9. JESUS: ÚNICO, INCOMPARÁVEL, MARAVILHOSO – NA RECOMPENSA CELESTIAL QUE DÁ AOS FILHOS DE DEUS – FILHOS DE DEUS RECEBERÃO UM CORPO SEMELHANTE AO SEU CORPO GLORIFICADO

Vivemos hoje em um corpo débil e fraco, mortal, sujeito à enfermidade, à velhice e, finalmente, à morte. Nosso corpo é limitado e nos cerceia, nos prende; ele é marcado pelo pecado. No dia do arrebatamento (ou no dia da ressurreição dos mortos, caso faleçamos antes do arrebatamento) o Senhor dará um corpo glorificado aos Seus filhos: “Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas” (Filipenses 3.20-21).

 Que privilégio, que honra! Somos chamados por Deus para “alcançar a glória de nosso Senhor Jesus Cristo” (2 Tessalonicenses 2.14). Nosso corpo será semelhante ao corpo glorificado de Jesus após Sua ressurreição. Isso não significa que seremos iguais a Jesus em Sua divindade, mas seremos semelhantes a Ele. Certamente teremos aparência distinta uns dos outros e seremos reconhecíveis como indivíduos. Esse novo corpo, esse corpo glorificado que receberemos do Senhor, não estará mais sujeito à deterioração – ele estará perfeitamente adaptado às condições existentes no céu.

FILHOS DE DEUS SERÃO HERDEIROS DE DEUS

Realmente seremos herdeiros de Deus, como está escrito em Efésios 1.18: “iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos”. Os que crêem em Cristo serão revelados nos céus eternos, diante dos anjos de Deus, como filhos e filhas do Pai celestial. Sendo filhos de Deus, eles terão parte como herdeiros de toda a riqueza da glória de Deus! Isso supera nossa capacidade de entendimento. Não pode existir algo mais grandioso! Se você, que está lendo estas linhas, já tiver recebido a Jesus em seu coração e já estiver seguindo Seus passos, você terá parte em tudo o que Deus é e em tudo o que Lhe pertence! Em outras palavras: você terá parte em tudo de glorioso que existe no céu!

Ser herdeiro de Deus significa não mais sentir falta de nenhum bem. No céu haverá tudo em abundância e profusão. A Bíblia nos dá uma descrição do céu em Apocalipse 21 e 22:

– Os muros da Jerusalém celestial serão de jaspe.

– A cidade e suas ruas serão de ouro, semelhantes a vidro puro. Nem conseguimos imaginar essa exuberância e beleza.

– Os fundamentos dos muros serão adornados com pedras preciosas da mais fina espécie e as doze portas de entrada da cidade serão doze pérolas, tão grandes como a porta.

– Do trono de Deus e do Cordeiro sairá um rio de águas vivas, brilhante como o cristal.

Alguém disse certa vez acerca da glória celestial: “Não pagaremos nada, mas aproveitaremos tudo – e isso não será apenas por um minuto ou por uma hora, mas por toda a eternidade!” Por quê? Porque Jesus pagou todo o preço pela nossa salvação! Com Seu sangue Ele comprou nossa entrada no reino celestial  (Hebreus 10.19-20).

FILHOS DE DEUS VÃO MORAR ONDE HABITAM DEUS E JESUS CRISTO

O próprio Senhor Jesus nos prometeu: “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também” (João 14.2-3).

Portanto, um dia moraremos lá onde o próprio Deus habita. Toda a capacidade humana de imaginação e antevisão não é suficiente para conseguir imaginar a glória da casa do Pai. Mas o que podemos saber desde agora é o que a Palavra de Deus nos revela:

– O construtor dessa casa é o próprio Deus. Conforme Hebreus 11.10, Ele é o “arquiteto e edificador” dessa morada eterna.

– Essas moradas são incomparavelmente belas por não terem sido feitas por mãos humanas, mas edificadas pelo poder de Deus (2 Coríntios 5.1).

– Essa morada celestial não precisa de luz natural ou artificial. Ela não depende do Sol ou da Lua porque a glória de Deus a ilumina e porque sua lâmpada é o Cordeiro, ou seja, Jesus Cristo (Apocalipse 21.23).

– Nessa morada celestial haverá espaço mais do que suficiente para todos os crentes em Jesus Cristo de todas as épocas e de todas as nações.

– Levaremos toda a eternidade para descobrir o que o céu nos reserva, e constantemente seremos surpreendidos com coisas novas!

FILHOS DE DEUS CELEBRARÃO UMA FESTA SEM FIM, EM COMUNHÃO PLENA E PERFEITA COM DEUS O PAI E COM JESUS CRISTO

Em Apocalipse 21.3 lemos acerca dessa festa inimaginavelmente bela: “Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles”. O fato de Deus habitar entre os homens fará do céu um lugar de alegria inconcebível e de felicidade absoluta. Nenhuma das características negativas do mundo presente existirá no céu (Apocalipse 21.27).

O céu é comparado com um casamento judaico. Esse é um símbolo da maior de todas as festas.

Em João 16.20, 22 e 24 está escrito que toda a tristeza será transformada em alegria, que essa alegria jamais será tirada e que ela será completa.

Pedro escreve: “Vocês O amam, embora nunca O tenham visto; ainda que não O vejam, confiem nEle, e até mesmo agora vocês já estão felizes com aquela alegria indizível que vem do próprio céu” (1 Pedro 1.8, A Bíblia Viva).

Assim podemos entender muito bem as palavras de Jesus: “Alegrai-vos… porque o vosso nome está arrolado nos céus” (Lucas 10.20). No céu haverá intensa satisfação: “mas como está escrito (Isaías 64.3): Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Coríntios 2.9).

O céu está cheio de vida abundante! Lá não se saberá o que é sentir falta de alguma coisa, pois será impossível acrescentar ou melhorar o ambiente do céu. Monotonia será igualmente uma palavra desconhecida, pois o céu é perfeito e oferece vida plena, vida sem fim.

NO CÉU OS FILHOS DE DEUS NÃO TERÃO MAIS PERGUNTAS NÃO-RESPONDIDAS

Todas as perguntas serão respondidas, todas as dúvidas acabarão. Na luz de Jesus, que a tudo perscruta e em tudo penetra, conseguiremos ver e entender todas as coisas. Não haverá mais a menor dúvida no céu. O Senhor Jesus expressa essa maravilhosa realidade com as seguintes palavras: “Assim também agora vós tendes tristeza; mas outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar. Naquele dia, nada me perguntareis” (João 16.22-23). No céu entenderemos de repente que todas as coisas realmente contribuíram para o nosso bem e que muitos caminhos difíceis pelos quais passamos em nossa vida aqui na terra serviram para o nosso crescimento.

NO CÉU OS FILHOS DE DEUS RECEBERÃO SUAS COROAS E REINARÃO COM CRISTO

Tudo o que fazemos em vida como filhos de Deus salvos pela graça, em nome do Senhor Jesus, adquire uma dimensão eterna. Por exemplo, àqueles que amam Sua vinda, Ele promete “a coroa da justiça” (2 Timóteo 4.7-8). A Bíblia fala também de uma “coroa incorruptível” (1 Coríntios 9.25), de uma “coroa de glória” (1 Pedro 5.4) e de uma “coroa da vida” (Tiago 1.12). No livro do profeta Daniel está escrito que os que conduziram outros à justiça e contribuíram para a propagação do Evangelho irão brilhar como o Sol por todo o sempre (Daniel 12.3). E o Senhor Jesus diz em Mateus 13.43: “Então, os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai”. A Sagrada Escritura fala que os que pertencem ao Senhor reinarão com Ele pelos séculos dos séculos (Apocalipse 22.5).

NO CÉU OS FILHOS DE DEUS ENCONTRAM-SE NO LUGAR DO PERFEITO AMOR

A Bíblia diz que o amor jamais acaba (1 Coríntios 13.8,13). Pois no céu viveremos em íntima comunhão com Aquele que é amor, que personifica o amor em toda a Sua pessoa. Ódio e coisas semelhantes são totalmente desconhecidas no céu. Só o amor reinará, e assim todos serão amados por todos.

O CÉU TAMBÉM É UM LUGAR ONDE MUITAS COISAS DEIXARÃO DE EXISTIR

No céu não haverá mais lágrimas, pois o próprio Deus enxugará as lágrimas dos nossos olhos (Apocalipse 21.4).

No céu também não haverá mais sonhos. Nossa vida aqui na terra consiste de muitos sonhos e fantasias. Sonhamos com um bom emprego, criamos fantasias com as férias dos sonhos, com uma praia dos sonhos, com o parceiro dos nossos sonhos, com um casamento dos sonhos. Todos esses sonhos e anseios não existirão mais em nossos corações, porque a realidade e a glória superarão em muito todos os sonhos.

Não haverá mais mar no céu (Apocalipse 21.1). O mar sempre é um símbolo de inquietude, tanto do desassossego das nações do mundo, como do nosso coração inquieto e da humanidade pecadora. No céu tudo se aquietará e a paz reinará eternamente.

No céu também não haverá mais sofrimento, nem luto, nem clamor, nem pranto, nem dor, nem medo ou sofrimento (essas são expressões usadas por diferentes traduções de Apocalipse 21.4). No céu também não haverá nenhum tipo de maldição (Apocalipse 22.3); a noite também não mais existirá (Apocalipse 22.5) e a morte terá sido anulada (Apocalipse 20.14; 21.4).

Nada mais será como era! Deus fará tudo novo, completamente novo. E no céu haverá coisas que nunca houve (Apocalipse 21.4-5).

 Do céu ninguém será mandado embora, pois ali é a morada definitiva daqueles  que crêem em Jesus. Desfrutaremos de toda a glória de eternidade a eternidade: “… (renascidos) para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros” (1 Pedro 1.4). O céu é o alvo supremo para nós seres humanos, o destino maior de uma pessoa.

O céu também é o lugar onde não existe pecado. Por essa razão, pessoa alguma com pecado pode entrar ali: “Nela, nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro” (Apocalipse 21.27, veja também o versículo 8).

Assim como o céu é uma maravilhosa realidade, o inferno é o seu oposto, ou seja, uma realidade terrível. Jesus falou muitas vezes do inferno. O inferno é o lugar onde nada existirá daquilo que descrevemos como existente no céu: é um lugar de separação eterna de Deus e privação de tudo aquilo que Ele dá aos que seguem a Jesus. O inferno é o lugar de sofrimento para todos aqueles que não receberam o perdão de seus pecados pelo sangue do Cordeiro de Deus.

Jesus Cristo é o único e grande Salvador, que sofreu por nós para abrir o céu e garantir nossa entrada na presença de Deus. Somente quem crê em Jesus e entrega a Ele sua vida cheia de pecado e culpa consegue entrar no reino de Deus.

Alguém perguntou: “O que nos faz fugir da vida se tememos a morte? Por que fugimos da verdade se estamos fartos da mentira? Por que continuamos em caminhos tortuosos se os atalhos escuros nos conduzem ao pecado? Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida. Quem é contra Jesus, não tem futuro…

– Mas pessoas que atenderam ao chamado de Jesus para segui-lO têm perspectivas maravilhosas para seu futuro. O Senhor voltará! Pela fé elas vêem um novo céu e uma nova terra!”

REFORÇO MAIS UMA VEZ O QUE TENHO DITO ATÉ AQUI: VALE A PENA SER CRISTÃO! E PELA ÚLTIMA VEZ LHE PERGUNTO COM TODO O MEU AMOR: VOCÊ QUER ACEITAR A JESUS EM SEU CORAÇÃO? VOCÊ QUER SEGUIR A JESUS? VOCÊ QUER TORNAR-SE UM CRISTÃO DE VERDADE ?

10. COMO VOCÊ PODE TORNAR-SE CRISTÃO HOJE

Agora mesmo, onde quer que você esteja, dirija-se ao Senhor Jesus em oração. Diga-lhe que, a partir deste momento, você quer crer nEle e peça-lhe perdão pelos seus pecados.

Solicite-lhe de maneira concreta para entrar em sua vida. Diga a Ele que a partir de agora Ele será seu Senhor e Mestre, e que de hoje em diante você está entregando a direção de sua vida a Ele.  

Agradeça ao Senhor Jesus Cristo por Ele ter morrido na cruz em seu lugar e por ter pago sua culpa. Agradeça-lhe também que Ele ressuscitou dos mortos para dar a vida eterna a você. Em João 1.12 está escrito: “Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome”. Receba a salvação pela fé e de coração agradecido!

Testemunhe de sua fé a outras pessoas. Leia diariamente a Bíblia e procure comunhão com outras pessoas que também são crentes em Jesus. Busque uma igreja evangélica fundamentada na pregação da mensagem bíblica.

Se você tiver perguntas sobre a vida espiritual ou quiser fazer um curso bíblico escreva-nos ou visite nosso site na internet.

__

SOBRE O AUTOR

Norbert Lieth nasceu em 1955, na Alemanha. Em 1978, logo após sua  conversão, ele veio estudar em nossa Escola Bíblica no Uruguai. Após concluí-la, ele trabalhou por alguns anos como missionário na Bolívia e depois iniciou a divulgação de nossa literatura na Venezuela, onde permaneceu até 1985. Nesse ano voltou à Europa, onde tem falado em conferências, escrito livros e publicado artigos mensais em nossas  revistas. Um ponto central de suas mensagens é a Palavra Profética da Bíblia, a ênfase na volta iminente de Jesus e a exortação à santificação, para poder encontrá-lO com alegria. Ele e sua esposa Elke têm quatro  filhas.

__

Traduzido do original em alemão: “Warum es sich lohnt Christ zu sein” Publicado por Verlag Mitternachtsruf – Zurique, Suíça

Tradução: Enio Sipp, Traudi E. Federolf Revisão: Sérgio Homeni

Edição: Ingo Haake

Capa e Layout: Ricardo Rempel, émerson Hoffmann

 Foto da capa: a Porta Dourada nas muralhas de Jerusalém

ISBN 85-87278-13-4

Copyright 2000 Actual Edições

Fone: (51) 241.5050 * Fax: (51) 249.7385

http://www.chamada.com.br * mail@chamada.com.br

Caixa Postal 1688 90001-970 * Porto Alegre/RS * BRASIL

 __

 Este livro completo está disponível em nosso site Conheça@Jesus – http://www.aJesus.com.br – como e-livro GRáTIS (livro eletrônico em diversos formatos – http://chamada.com.br/catalogo/prop_conhecajesus.htm).  

 No formato eletrônico ele pode ser reproduzido e copiado livremente desde que seu conteúdo não seja alterado, que seja citada a fonte (endereço, link para nossa homepage) e que seja oferecido gratuitamente. Para ser publicado em outros sites aplicam-se as mesmas condições e solicitamos ser informados a respeito.

Norbert Lieth

Advertisements

One thought on “Conheça Jesus

  1. Convidamos encarecidamente, o autor(a) da presente e excelente página de assuntos cristãos, que venha urgentemente ver as revelações as quais estamos disponibilizando para o mundo na internet. Nosso endereço: http://joaorevela.blogspot.com/
    EM NOSSA REVELAÇÃO O ESPÍRITO SANTO VERDADEIRO, DEMONSTRA A SEQUÊNCIA PROFÉTICA DE EZEQUIEL 38 E 39. TRATA-SE DE UMA SEQUÊNCIA DE FATOS EM CONTAGEM REGRESSIVA PARA A GRANDE BATALHA CONTRA ISRAEL POR PARTE DA RUSSIA E SEUS ALIADOS, E POSTERIORMENTE O DILÚVIO DE FOGO SOBRE A HUMANIDADE OU SIMPLESMENTE O TERCEIRO CONFLITO MUNDIAL. Esperamos com tal divulgação, quem sabe, possamos mudar o desígnio da divindade, do presente para o futuro. Atenciosamente, João Joaquim Martins.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s