A Heresia da Barba Ungida


Barbunção

O jumentinho voou nas asas da internet e aterrissou em lugares distantes. Tão próxima da realidade ficou a ficção, que dos Estados Unidos um pastor, perplexo, me perguntou se realmente eu acreditava no amuleto do jumentinho, como meio de adquirir prosperidade. Outro pastor, aqui do Brasil, pediu-me perdão por haver entendido que eu virara heresiarca. E teve um que me pediu permissão para usar o exemplo em aulas de hermenêutica. Como não fizera nenhum preâmbulo, pois iniciei o artigo com a pregação do suposto pregador, e levando em conta que somente nas duas últimas linhas disse que se tratava de uma ilustração, compreende-se a perplexidade de alguns. Mais de uma vez tive de dizer: Eu, heresiarca? Jamais. Como vimos no exemplo do jumentinho, as heresias não raro vêm associadas a algum relato bíblico. No caso em tela, recorri à figura do “bode emissário”. Tenho plena convicção de que essa heresia seria bem recebida se apresentada por um líder carismático. Não se pode descartar a possibilidade de existir algum interessado, a matutar com seus botões: “Sabe que é uma boa idéia!? Como não pensei nisso antes!?”. Um bem-humorado irmão me alertou sobre um possível plágio; a idéia poderia ser roubada. Ora, patentear uma heresia para evitar cópia seria um caso único na história das religiões, além de muito curioso. Eu não faria tal coisa. Os heresiólogos ficariam atônitos sem saber como explicar tal fenômeno.

Apenas imaginei como as heresias surgem.

Determinados grupos usam pirâmides, cristais, símbolos, pulseiras, figas e penduricalhos diversos. Com engenho e arte é possível conseguir uma razoável diversificação na produção de novos amuletos. O interesse de um professor em usar o exemplo do jumentinho em aulas de hermenêutica, animou-me a continuar dando outros exemplos, utilizando somente emblemas bíblicos. O objetivo é alertar crentes e não crentes contra a palavra enganosa. Vejamos mais um exemplo de “como nasce uma heresia”. Está escrito na Bíblia: “Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo precioso sobre a cabeça,que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes” (Salmo 133.1-2).

Além disso, Deus ordena que os homens não danifiquem “as extremidades da barba” (Lv 19.26). Fazendo a vontade do Criador, os anciães de antigamente conservavam barbas bem compridas. A queda de Adão e Eva levou os homens a serem desobedientes. Por isso, se apresentam hoje de cara lisa, imberbes, sem nenhum temor a Deus. Voltar à austeridade dos velhos tempos é um imperativo divino.

Num sonho que tive, um velhinho de barbas brancas como a neve se aproximou de mim e disse: “Deixai crescer a barba, nem que seja apenas simbólica. Você é o meu mensageiro. Entrego-lhe a responsabilidade de avivar a minha Igreja. Não temas, eu estarei sempre com você”. Fiquei trêmulo e quase desmaio. Daí porque, meus fiéis seguidores, vocês deverão doravante usar uma barba simbólica. Uma barbicha ficará muito bem. O prazo para a formação da barbicha será de trinta dias, ao fim dos quais vocês se apresentarão no templo para receberem a unção da barba, a barbunção. Sete gotas de óleo ungido serão derramadas sobre cada barbicha. A partir daí, a unção será renovada a cada trinta dias. Como está dito no Salmo 133, a barbicha será símbolo de união entre os irmãos. As mulheres estão dispensadas dessa obrigação por óbvias razões.

Todavia, deverão ostentar um broche com uma barbicha estilizada, símbolo de união conjugal estável. Vocês sabem que a união faz a força e a força produz prosperidade. Todos devem atender ao chamado de Deus, sob pena de serem atacados por gafanhotos devoradores que devorarão seus bens, suas rendas, sua paz. Colocaremos cem mil broches à disposição das mulheres que nunca negaram sua fé. Não será desta vez que negarão a Cristo.

Esses símbolos podem ser adquiridos pelo preço simbólico de cinqüenta reais. Os broches folheados a ouro custarão de quinhentos a mil reais. Qualquer sacrifício é válido para ganharmos a vida eterna.

Por Ailton Evangelista da Costa

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s