Eleições 2010: Líderes Religiosos “também” Corrompidos (?)

A história está aí para nos ensinar grandes lições, mas muitos insistem cegamente e loucamente em repetir o erro.

A igreja cristã em seus primórdios foi vitimada por duras perseguições do poder temporal, representado na ocasião pelo imperadores romanos, que a considerava uma religio illicita. Dessa forma, a igreja cristã era vista como uma ameaça à segurança do estado romano devido ao seu crescimento.

Calúnias, difamações, agressões, confisco de bens, obrigação de sacrificar aos ídolos e mortes foram o resultado da grande hostilidade do poder temporal. Nero, Domiciano, Trajano, Décio, Diocleciano foram alguns dos algozes da fé cristã.

As investidas do poder temporal não alcançaram seus objetivos. A fé cristã crescia e se fortalecia cada vez mais. A perseguição só viria acabar em 313, quando o imperador Constantino promulgou o Édito de Milão, garantindo assim liberdade de culto a todas as religiões representadas no império. Durante o governo de Teodósio (379-395) o cristianismo ganhou o status de religião oficial do Imperio.

Os acontecimentos acima citados seriam ao longo da história reproduzidos, sempre nesta ordem: perseguição, tolerância e institucionalização da igreja cristã.

Aqui no Brasil, a igreja evangélica/protestante nos seus primórdios foi também vitimada com perseguições pelo poder temporal, sob as bençãos e “pressão” do catolicismo romano. Desde a chegada dos primeiros colonizadores protestantes (1555), passando pela chegada dos holandeses, pelo protestantismo de imigração e missionário, até a consolidação da fé protestante, a perseguição fez parte da rotina dos prostestantes/evangélicos.

Assim como no império romano e ao longo dos séculos, tais perseguições não alcançaram seus objetivos, e a igreja católica com o poder temporal (governantes e políticos brasileiros) tiveram que “engolir” os protestantes.

Diante desta realidade, a máxima “se não pode com eles, junte-se a eles” foi vivenciada pelo poder temporal, que buscou aproximação da igreja e da liderança evangélica, que de perseguida se tornou assediada. Os índices de crescimento dos evangélicos que circula na mídia nacional enchem os olhos (e os bolsos) de muitos.

A Igreja Evangélica no Brasil é na atualidade, sinônimo de votos e da possibilidade de se manter no poder para muitos políticos. As estratégias destes políticos oportunistas vão desde a criação de datas especiais, até a “compra” de líderes evangélicos através de: cargos comissionados, ajudas financeiras extra-oficiais, beneficiamento de filhos e parentes como assessores, eventuais benefícios e doações feitas à igreja local (terrenos, imóveis, concessões de rádio e tv etc.).

Infelizmente, os exemplos da história não foram suficientes para libertar muitos líderes e igrejas da “sedução constantiniana” de conquistar o poder temporal, ou de se deixar ser por ele conquistado numa relação de vergonhosa promiscuidade.

Muitos líderes já estão “amarrados” politicamente para as próximas eleições, através de acordos de bastidores, que em breve serão enfiados “guela” (ou garganta) abaixo em muitas igrejas (a não ser que já sejam coniventes com a prática).

Insisto que precisamos rever nossa relação com o poder temporal, pois somente desta maneira, líderes e igrejas poderão manter sua autoridade espiritual e profética para testemunhar do Evangelho de Jesus, que não negocia sua essência. É possível ser politizado sem se vender. É possível ser íntegro. É possível ser cristão.

Em muitos países na atualidade, cristãos continuam sendo perseguidos e mortos, em outros são apenas tolerados, enquanto aqui no Brasil são (ou permitem-se ser) usados, abusados, explorados e comprados.

Por Altair Germano.

Leia mais sobre “a igreja e a política” em:

PROJETO E CANDIDATO DA IGREJA?
O CRISTÃO E A POLÍTICA: O MEU CANDIDATO
O CRISTÃO E A POLÍTICA: QUANTO VALE?
NEGOCIADORES DO VOTO ALHEIO
EDUCAÇÃO POLÍTICA: O SENTIDO DO VOTO
O CRISTÃO E A POLÍTICA: JOSÉ, UM POLÍTICO CONSCIENTE DE SUAS RESPONSABILIDADES
O ATUAL PROCESSO DE MEDIEVALIZAÇÃO DA IGREJA NA PÓS-MODERNIDADE
A CONDIÇÃO DE ALGUNS POLÍTICOS EVANGÉLICOS
A CONDIÇÃO ATUAL DO BRASIL E A FALÊNCIA PROFETICA DE ALGUNS LÍDERES E IGREJAS EVANGÉLICAS

Comentários:
Pr. Gualter Guedes disse…
Pr. Altair Germano

Tenho participado de congressos e visto o que realmente o Senhor coloca neste artigo… estou de pleno acordo com o que o Senhor escreveu e faço apologia a Igreja de Cristo para a defender exatamente destas coisas… Deus te abençoe..
Pr. Gualter Guedes
20 de setembro de 2009

Eriton Junior disse…
Será que o filme que se passou com igreja romana vai acontecer com a instituição evangelica?
20 de setembro de 2009

leo disse…
Tudo o que o senhor falou sobre os males do nepentecostalismo e teologia da prosperidade, acontece nos Gideões Missionáriso da ultima Hora em Camboriu SC.
Amado pastor, venho fazer um convite ao senhor para na proxima sexta feira(6ª feira) ligar seu computador na internet apartir de 12:00 (meia noite, horário do Braisl) e entrar no site do GMUH e ligar na TV Gideões posi vai passara vigilai deles.

Garanto que o snehor nunca viu coisa igual. Vai pasmar assim como eu.
Eh uma vigílica onde vendem bençãos de 1.000,00 depois 500,00 depois 200, 100, 50,00 e até 1,00 reeal.
Começam pedindo dinehiro e prometem prosperidade! depois o pregadro oficial – sim esa vigilia tem pregador astro conhecido nacionalmente toda sexat feira, aí esse pregador começa de novo pedindo oferta em troca de prospridade.
Ai fica vendo visões e profetizando.
O trágico de tudo isso é que essa vigilia tá ficando famosa em Santa Catarina, e tem um publico estimado de quase 1.000 pessoas!! Pasme!!! Só não tem mais pq eles fecham a porta!
Aí a mesma eh retransmitida na rádio Gideões e pela intenet (rádiooe tV)
com records de acessos pelo público.

Pergunto: até onde vamos chegar?
21 de setembro de 2009

Elisomar disse…
Será que tem uma explicação escatológica para esses chifres? rsrs
21 de setembro de 2009

Heitor disse…
A Paz do Senhor !
Pr.Altair,
Parabéns mais uma vez : irei reproduzir, se me permitir, e distribuir centenas e centenas de cópias deste blog aqui onde moro. Temos que ensinar o Povo de DEUS a contra-atacar estas cobras que já querem se aninhar em nossos templos prá destilarem o veneno nas próximas eleições : e tudo isso, infelismente, na maioria das vezes, com a permissão e incentivo de Pastores e Líderes. Pau na cabeça destas cobras, os políticos !

21 de setembro de 2009

gleydson disse…
PR.ALTAIR

QUANDO O SENHOR FARÁ UM POST
SOBRE ARMINIANISMO E CALVINISMO…

QUERO MUITO APRENDER MAIS DAS VISÕES POR SUA EXPOSIÇÃO

SOU DA AD EM MARANGUAPE I…

ESPERO ANSIOSAMENTE.

JÁ É A SEGUNDA VEZ QUE PESSO ENCARECIDAMENTE POR ESSE TEMA…

A PAZ DO SENHOR…
21 de setembro de 2009

ALTAIR GERMANO, disse…
Prezado Gualter Guedes,

conto com as vossas orações nesta difícil empreitada.

Abraços,

21 de setembro de 2009

ALTAIR GERMANO, disse…
Amado Eriton Junior,

infelizmente o filme já começou, só não sabemos ainda como vai terminar. isso vai depender da disposição, ou não, de mudar de rumo.

Abraços,
21 de setembro de 2009

ALTAIR GERMANO, disse…
Prezado Leo,

Se tiver condições vou assistir.

Paz do Senhor,
21 de setembro de 2009

ALTAIR GERMANO, disse…
Elisomar,

pior que os chifres é lidar com o Diabo disfarçado.

Paz do Senhor!
21 de setembro de 2009

ALTAIR GERMANO, disse…
Heitor,

fique a vontade para divulgar o blog e orar por mim.

abraços,

21 de setembro de 2009

ALTAIR GERMANO, disse…
Nobre Gleydson,

assim que puder.

Só para antecipar,todas as “teologias” possuem acertos e equívocos interpretativos. Na maioria das vezes tais equívocos são verdades levadas ao extremo.

Com o arminianismo e o calvinismo acontecem o mesmo.

Abraços,
21 de setembro de 2009

a verdade do evangelho disse…
Escrevi um artigo sobre a política na igreja, intitulado: “Jesus em último lugar” deem uma olhadinha e comentem.

Blog: A verdade do evangelho
Pb. Edinei, Th.B
22 de setembro 2009

Islâmicos se convertem ao CRISTIANISMO e são duramente PERSEGUIDOS !

Dono de blog é solto após dois meses na prisão

ARÁBIA SAUDITA (2º) – Hamoud Saleh Al-Amri, 28, preso em janeiro por escrever em seu blog sobre a decisão de seguir a Cristo, foi solto pelas autoridades sauditas em 28 de março de 2009. Ele foi proibido de viajar para fora do país ou aparecer na mídia.

Em uma nova entrada em seu blog, Hamoud atribui sua soltura à pressão que uma rede de direitos humanos, entre as muitas que fizeram campanha para que ele fosse solto, exerceu sobre as autoridades sauditas.

Hamoud foi preso em 13 de janeiro de 2009, e ficou na prisão política de Eleisha, em Riyadh. Ele havia escrito em seu blog sobre a decisão de deixar o islã e seguir a Cristo, e também foi crítico com o sistema judiciário em seu país, destacando a corrupção e os abusos de direitos humanos. Essa foi a terceira vez que Hamoud foi preso.

Após a última prisão, as autoridades sauditas e o Google bloquearam o acesso ao seu blog, no que alegaram ter ocorrido uma violação dos termos de prestação de serviço, antes de restaurar a conexão em 5 de fevereiro de 2009, devido à pressão do público.

A complacência das autoridades sauditas nesse caso surpreendeu alguns analistas, dada a natureza da crítica ao regime e alegação explícita de ter deixado o islã, feitas por Hamoud. Apesar de haver algumas tentativas para uma reforma, a Arábia Saudita permanece um país onde a expressão política é muito restrita, e somente uma versão do islamismo sunita pode ser praticada abertamente. Outras formas de islamismo e outras religiões são restringidas.

A pena de morte por apostasia continua em vigor. Apesar de não existir registros de que essa sentença tenha sido executada nos últimos anos, assassinatos extra-judiciais de convertidos são muito comuns. Em agosto de 2008, a mídia regional relatou que um homem saudita trabalhando em uma comissão local assassinou sua família, Fatima, porque ela se converteu ao cristianismo.

Tradução: Deborah Stafussi
Fonte: Open Doors

Onde estão as Igrejas que Deveriam Promover o VERDADEIRO Reino de Deus COM ATITUDES ?

Este texto é baseado em um caso real.

Certa família humilde passava por graves privações. E a comunidade cristã tradicional, próxima, não se apercebeu.

Então, um senhor espírita se aproximou; esforçou-se e arranjou um emprego para o pai daquela família. Com o passar do tempo as privações se foram, os filhos se graduaram tornaram-se prósperos e, naturalmente, espíritas.

Quando o Senhor Jesus mostrou para o doutor da Lei quem era o “próximo” do homem ferido pelos ladrões, na parábola, referiu-se a um samaritano. Um homem de um povo estranho transportado de longe por Nabucodonosor, para as terras de Israel. Cristo confrontava uma religiosidade desprovida de compaixão. E compaixão significa estar atento às necessidades do próximo. Nossas mãos a serviço dos olhos do SENHOR.

Eu fico meditando: O que estamos vendo no meio evangélico é bem parecido com o relato da parabóla. Muitas palavras e poucas atitudes. Muitos críticos e poucos “samaritanos”. Muito individualismo e pouca solidariedade. Muitas palestras, escolas de liderança e poucos mestres em SERVIR.

E diante de tudo isso, como falar do amor de Deus para quem só conheceu a generosidade de “Samaritanos”? É, você e eu temos mesmo muito a melhorar!

Joao Cruzué é um dos pioneiros da blogosfera cristã evangélica, e há anos edita o excelente blog OLHAR CRISTÃO. Título original: A parábola do bom samaritano contextualizada.

Falta Discernimento aos LÍDERES RELIGIOSOS !

Durante dois anos dediquei parte do meu tempo para discutir com relativistas ateus acerca da existência de uma verdade universal e absoluta. Sabe o que eu descobri? Que algumas pessoas têm uma vontade enorme de discordar, mesmo em face das maiores evidências. A segunda grande lição que tirei foi que o relativista é um debatedor desleal; como debater a verdade com alguém que crê que todas as proposições são igualmente verdadeiras (não havendo, consequentemente, nenhuma verdade?).

Mas se há (e eu tenho absoluta certeza que há!) uma verdade acerca da verdade, é que ela independe da nossa opinião sobre ela. Antigamente a humanidade achava que a terra era plana, mas a crença daquele homem primitivo e medieval não pode mudar a verdade de que a terra é redonda. Eles estavam bem intencionados, mas fracassaram. A verdade sempre existirá, independente do modo como nos relacionamos com ela.

Neste mundo pós-moderno com sua porteira aberta para o absurdo, não faltam cidadãos politicamente corretos para tratar de convencer-nos que a moralidade, por exemplo, nada mais é do que uma convenção social. Não existe um comportamento certo ou errado; não há regras exteriores a nós para se cumprir, tudo começa e termina em nós mesmos. Contudo, mesmo o maior dos relativistas abominará a idéia de ter uma esposa “relativamente fiel”. Neste caso, ele está absolutamente seguro que a fidelidade é um padrão moral legítimo, verdadeiro. Para muitos, todo comportamento é correto, até o dia que um tarado pervertido estupre a sua filhinha indefesa. Isso acontece porque a verdade nem sempre é evidente em nossas ações, mas pode ser percebida em nossas reações.

A exegese e a hermenêutica também tem sofrido influencia do relativismo. Há uma multidão de cristãos a-religiosos na blogosfera, tratando de convencer-nos que o balão é azul, roxo e verde ao mesmo tempo. Para estes pseudo-pensadores, as palavras de Jesus tem um milhão de interpretações possíveis (e igualmente válidas). Quanta frescura! É claro que a bíblia às vezes usa metáforas, analogias e parábolas, mas nestes casos o sentido do texto é claro. Do mesmo modo, há inúmeras passagens que são literais, e o sentido destas palavras é igualmente claro.

As vezes penso que esta idéia burrificada de que cada um deve interpretar a bíblia a sua maneira, e que verdades contradizentes podem ser igualmente verdadeiras é produto do péssimo sistema educativo brasileiro. A grande maioria dos alunos do ensino médio é incapaz de interpretar textos simples! Entende a gravidade do problema? Os nossos queridos relativistas morais e religiosos são, em grande parte, vítimas deste processo.

Por tudo isso que eu afirmo sem medo de errar: “não é o excesso de intelectualidade que está sufocando a igreja brasileira, mas a ausência dela”. E nestes dias confusos, quando os homens “chamam o mal de bem e o bem de mal”, nada pode ser mais normal do que uma multidão de ignorantes sendo aclamados como pensadores e filósofos, enquanto os verdadeiros pensadores são relegados ao anonimato. A burrice virou sinônimo de intelectualidade, e aqueles que usam o cérebro e contrariam as convenções pós-modernistas são chamados de intolerantes e irracionais. Lamentável, boçal, triste, porém verdadeiro.

O tempora! O mores!

Leonardo Gonçalves, cristão absolutista e dogmático (nada preocupado em ser politicamente correto), no PÚLPITO CRISTÃO.

___________________________________________________________

Discernimento

O discernimento é essencial no processo de tomar decisões sábias.

Tiago 1:5

“Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada.”

O discernimento é essencial para o crescimento espiritual.

Hebreus 5:14

“Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais têm, pela prática, as faculdades exercitadas para discernir tanto o bem como o mal.”

O discernimento é para os humildes.

Salmos 25:9

“Guia os mansos no que é reto, e lhes ensina o seu caminho.”

As coisas espirituais são discernidas espiritualmente.

1 Coríntios 2:13-14

“As quais também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito Santo, comparando coisas espirituais com espirituais. Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.”

http://malucoporjesus.wordpress.com

Luta por Territórios – Não é assim que Deus ensina

A FALÊNCIA DO SISTEMA ASSEMBLEIANO DE CAPTANIAS HEREDITÁRIAS E DE FEUDOS

http://www.altairgermano.com/2009/07/falencia-do-sistema-assembleiano-de.html

Tudo que é criado pelo homem, tem o seu tempo de duração determinado.

O sistema de limites territoriais implantado nas Assembléias de Deus no Brasil, que “orientava” o pastor a não evangelizar e abrir igrejas fora do “seu” Estado ou Campo, parece que já não cabe mais. Ruiu e faliu.

Quer exemplos desta realidade?

1. Já existem no Brasil as Convenções de Ministros das Assembleias de Deus Interestaduais e Interegionais;

2. Várias Convenções Estaduais do Sudeste do Brasil já abriram e continuam abrindo ou apoiando trabalhos no Norte e Nordeste. Estas Convenções não poderão reclamar quando as igrejas Assembleias de Deus do Nordeste começarem a abrir trabalhos no Sudeste;

3. Os limites de campos dentro de um Estado não mais existem em boa parte do território brasileiro. Um exemplo claro é aqui em Pernambuco onde a Assembleia de Deus com sede em Recife abre trabalhos no antigo “campo” da Assembleia de Deus em Abreu e Lima, e vice e versa;

4. Aqui no Nordeste, temos ainda o caso de trabalhos antigos da Assembleia de Deus em Alagoas nos Estados de Pernambuco e Bahia;

5. Temos agora o caso inusitado do Pará, onde o pastor da capital desligou-se de sua Convenção Estadual e filiou-se com os seus ministros (a igreja acaba indo junto) a uma Convenção do Tocantins (interestadual).

Em meio a tudo isto, ainda se briga no Brasil por um pedacinho de terra, ou pelo domínio territorial de grandes “propriedades”.

O que há de bom na falência do sistema de Capitanias Assembleianas ou Feudos?

Do meu ponto de vista, ganha o Reino de Deus, quando se parte para abrir ou expandir a igreja do Senhor em lugares onde há uma certa acomodação (por parte do dono da capitania ou feudo) ou dificuldades pertinentes. Há municípios, vilarejos, distritos, comunidades interioranas no Brasil com menos de 1% de evangélicos.

Ganha também por permitir que os crentes tenham a opção de se livrar de alguns jugos pesados, de alguns ditadores e aiatolás da fé, como também de alguns liberais e banalizadores da fé.

Penso ainda que a opção ou a alternativa que uma nova igreja dá, acaba por promover uma melhor e maior atenção do dono da capitania ou do feudo às ovelhas.

O lado ruim, é que muitos abrem igrejas Assembleias de Deus em lugares onde não trabalhavam, com o maléfico propósito de aumentar a sua arrecadação, para demonstrar o seu “grande potencial” expansivo e financeiro, ou por mera pirraça, birra, intriga.

Há aqueles também que saem de seu reduto em razão de cometer pecados dos mais diversos tipos, e por insubmissão, espírito faccioso, etc., para abrir trabalhos longe dos olhares de quem os conhece.

Outro problema são as divisões causadas pela política eclesiástica. Todo mundo que ser presidente de alguma coisa ou de muita coisa. Quando não consegue, se desliga e cria a sua própria Capitania ou Feudo, e diz: aqui ninguém não pode entrar.

O fato, repito, é que o sistema ruiu e já faliu.

É preciso manter um mínimo de bom senso, ética e respeito mútuo entre as partes envolvidas.

É preciso juntar os cacos das amizades e dos relacionamentos que se desfizeram.

É preciso possibilitar que as famílias que foram proibidas de cultuarem juntas voltem a se reencontrar nas igrejas, sem nenhum constrangimento.

É preciso derrubar os muros erguidos.

É preciso revogar as proibições feitas aos obreiros e aos cantores de visitar a “outra igreja”.

É preciso ser crente de verdade.

É preciso autoridade para pregar e ensinar.

É preciso viver o verdadeiro amor.

É preciso falar de perdão e perdoar.

É preciso reconciliação.

É preciso reconhecer os erros.

É preciso rever os conceitos.

É preciso ser humilde.

É preciso saber sofrer o dano.

É preciso um novo rumo.

É preciso orar.

É preciso convidar o Espírito Santo para orientar o processo.

É preciso chegar no céu!

Postado por ALTAIR GERMANO

COMENTÁRIOS AO POST

Miss. Gilberto Diniz – Santo Tome- Argentina disse…
É meu caro Pastor Altair, o senhor colocou que a Asembleia de Deus com sede em Recife, abre trabalhos em su antigo camopo Abreu e lima e vive e versa, se o senhor fosse um pouco mais sincero diria, que Abreu e Lima com seu projeto o Campo é o mundo abriu Igrejas em praticamente em quase todo o Estado de pernambuco, ainda que fechou muito do que abriu, o pastor da Igreja com sede em Recife, fez tudo que foi possivel indo ate a sede do antigo campo de Abreu e Lima no ano de 1999, para falar com o entao pastor sobre o que se estava fazendo, o mesmo se fez de ouvidos surdos, tentou em todos os ambitos como Umadene e até cgadb, nao obtendo nenhuma resposta, só depois disto é que o Pastor com sede em Recife abriu no antigo campo de Abreu e Lima, eu pensei que o senhor era um pouco equilibrado, mas mexeu com meu terreiro as coisas mudam nao é!!!!!!
Infelismente concordo com o senhor que o sistemas ministerios, que nao entendem os limites de etica e respeito ruiram e tentam ruir o que sobrou é uma pena, juntar os cacos é reconhecer os erros e voltar atras, coisa que ninguem quer fazer, a melhor resposta infelismente é ir adiante o futuro dira.
Paz do Senhor.
Miss. Gilberto Diniz

2 de julho de 2009
Escritora Micheline Gomes disse…
Seus escritos são de grande essência bíblica.
Que Deus continue te inspirando e permaneças como arauto da verdade e fé!

Deus te abençoe pastor Altair

Micheline Gomes

2 de julho de 2009
Paulo Mororó disse…
Caro pastor Altair, a Paz do Senhor.
Louvado seja Deus por esta conscientização a respeito dos “feudos” e das “capitanias”. Excelente postagem.
Com a presença de vários “ministérios”, o povo da AD pode se adequar e servir melhor e sem escândalos. Militares das Forças Armadas, caminhoneiros e outros profissionais que mudam de residência constantemente, e suas respectivas famílias, muitas vezes sofrem na pele estas questões de mudanças de “feudo”, por este nosso Brasil.Os problemas e adapatações geralmente estão ligados aos “usos e costumes” e administração eclesiástica (Nepotismo e Dinastias Eclesiaásticas).
Estas questões de disputas de ovelhas vai fazer muitos líderes pensarem e agirem com mais coerência, pois uma geração de jovens assembleianos que nos anos sessenta e setenta receberam o alívio do jugo da “doutrina do uso do chapéu”,mais tarde quando assumiram postos de lideranças, não tiveram o senso de coerência de tirar os “chapéus da irmãs” e outras cargas de doutrinas humanas. Agora com estas aberturas ou “invasões de campos”, estes líderes irão refletir sobre o real valor destas cargas e jugos. Basta somente meditar nos conselhos do apóstolo Paulo em Colossenses 2.18-23.
Gosto sempre de citar esta parte:
“AS QUAIS COISAS TODAS PRERECEM PELO USO, SEGUNDO OS PRECEITOS E DOUTRINAS DOS HOMENS;(…), MAS NÃO SÃO DE VALOR ALGUM, SENÃO PARA A SATISFAÇÃO DA CARNE”
Quem não ouve a Palavra, um dia acaba ouvindo a pancada!
Vamos esperar pelo desenrolar dos fatos.
Um abraço.
PAULO MORORÓ

2 de julho de 2009
Daladier Lima disse…
Prezado Pr. Altair, acho que nosso maior problema neste quesito é a personalização. A instituição deveria estar acima dos dirigentes, mas a eleição passada é a prova disso. Polarizaram-se as opiniões, quando deveríamos ter mais candidatos e deu no que deu. Os nomes mascaram a importância da nossa denominação.

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Nobre missionário e pastor Gilberto Diniz,

tenho um profundo respeito pelo irmão, a quem conheço desde o tempo em que trabalhou na Livraria Manancial, quando ainda éramos líderes de mocidade. O irmão trabalha em Cidade Tabajara e eu em J. Paulista Baixo.

Talvez o irmão não saiba, mas o atual problema entre Abreu e Lima e Recife foi desencadeado pela abertura de um trabalho em Cafeeiro, limite das “Capitanias Hereditárias” ou “Feudos”.

O pastor Isaac, na época tentou resolver a questão com o ministério de Recife, inclusive formalizando através de carta/documento elaborada pelo ministério de Abreu e Lima, porém sem sucesso.

Ao assumir os trabalhos em Recife-PE, o pastor Ailton, por quem tenho muito respeito e admiração pela grande serviço realizado, simplesmente ignorou a nossa igreja e ministério, nunca veio após a sua posse em Abreu e Lima, em nenhum evento, mesmo o pastor Isaac tendo o honrado, participando de sua eleição, posse e enviado representantes para as suas Escolas Bíblicas e Aniversário.

Em razão disto, foi desencadeado a abertura de trabalhos de Abreu e Lima na Capitania de Recife.

Quando o pastor Ailton Alves tentou fazer com que as coisas voltassem ao que era, o processo já estava avançado, e diante disto
o mesmo partiu para abrir trabalhos na Capitania de Abreu e Lima.

O fato é que muitos sofreram e sofrem com o que resultou disto (famílias, obreiros e a igreja em geral.

Não vale apena entrar em outros pormenores.

E por falar em ser sincero, tenho afirmado que neste processo entre Abreu e Lima e Recife, ouve equívocos de ambas as partes, ou não?

Voltar atrás? Como?

O melhor caminho não seria uma reconciliação pública?

O melhor caminho não seria o perdão mútuo?

Até quando vamos manter as acusações?

Até quando alimentaremos os constrangimentos?

Concordo com as vossas palavras finais: “o futuro dirá”.

Mas, o que queremos que o futuro diga? Queremos que o futuro diga quem estava com a razão?

Ou queremos que o futuro diga que somos irmãos em Cristo, falhos, imperfeitos, mais desejosos de caminhar juntos e unidos para a Glória de Deus?

Nobre amigo e companheiro Gilberto Diniz (penso que posso lhe chamar assim), militamos pela mesma causa.

Irmãos somos.

Uma abraço sincero e a paz do Senhor!

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Micheline, conto com as vossas orações.

Paz do Senhor!

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Poi é Paulo, vamos adiante!

Abraços!

2 de julho de 2009
EDILSON disse…
Pastor Altair,

É muito bom Lê os seus escritos. Em minhas orações , tenho orado pelo santo minitério das duas convenções. Do jeito que está, perde Pernambuco e perde o Brasil, pois pederíamos ter um presidente de convenção geral.

Abraço !

2 de julho de 2009
Newton Carpintero, pr. disse…
Prezamado pr. Altair Germano,

A Paz do Senhor!

Excelente postagem! O meu coração se alegrou com esta sua “Falta de Ética”.

Hoje, a ética, passou a ser utilizada para esconder a verdade entre os envolvidos na mesma função, profissão ou regra de fé, como doutores, policiais, advogados e infelizmente “pastores”.

Esta posição que tanto se prega, é disponível aos que pretendem ser beneficiados pela “ética”, em um futuro próximo.

João Batista, utilizou alguma ética quando acusou Herodes? Claro que não! Ele, João Batista foi decepado pela aplicação da “Falta de Ética”. Algo pouco comum
nos dias de hoje. Todos querem manter as suas cabeças no lugar.

Carecemos de viver sem a preocupação da ética, e assim, alertarmos a igreja, mesmo que tenhamos que aplicar a chamada “Falta de Ética”.

O Senhor seja contigo!

pr. Newton Carpintero
http://www.pastornewton.com

2 de julho de 2009
Pr. Carlos Roberto disse…
Caro Pastor Altair Germano,
A paz do Senhor,

Perfeitas as sua colocações.

Esse fruto azedo que estamos colhendo, não é só no nordeste, mas em todo o Brasil.

Veja que, pela forma de pensar a respeito do assunto, o irmão precisou manifestar firmeza e delicadeza para não ferir um amigo que quase se ofendeu com o que o amado escreveu.

Imagine quantas divisões e afastamentos até mesmo de amizades e até de famílias por conta disso.

É hora de pararmos com isso, acerando as coisas do pnto de vista bíblico e a partir de onde estamos, até porque aqueles que iniciaram muitos desses conflitos, não estão mais entre nós.
Não podemos pagar o preço dessa desunião no reino de Deus.

Parabéns pela lavra!

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Nobre Daladier, vou mais além, o Reino deveria estar acima das instituições.

Abraços!

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Prezado Edilson,

vossas orações, como a de muitos por esta causa, são valiosas.

Paz do Senhor!

2 de julho de 2009
TIAGO VIEIRA disse…
Na verdade, a Assembléia de Deus cresceu desordenadamente. Como a maioria das organizações começa bem, alcança o topo e entra em declínio. A Assembléia de Deus está em caos, está uma bagunça. Existem “pastores” que não são Pastores. E são a maioria que está no poder. Homens sem visão que levam todos que os seguem ao penhasco. A Assembléia de Deus está se desfazendo, está deixando de ser, ou já deixou de ser a muito tempo. O que resta por este Brasil afora são particulas desta tão abençoada e querida igreja. Mas em relação a unidade nacional
hoje é pura utopia, de quem discursa. Ninguém mais sabe o que é Assembléia de Deus. Ela se tornou em conceito subjetivado. Como um proprio titulo de um post do senhor nos diz. Existe várias placas. A Assembléia de Deus agora funciona por segmentação de mercado, e isso é muito triste.
Qual o legado que essa geração de líderes assembleianos estão deixando? Qual é a mensagem que estão passando? Qual tipo de poder que estão demonstrando ao Brasil? poder político? poder financeiro? poder mecadológico? ou Poder de Deus?
O que estão fazendo com a Assembléia de Deus????

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Prezado pastor Newton,

dentro do hierarquismo ético, quando duas normas universais entram em conflito, se decide pelo bem maior ao maior número de pessoas possível.

Em nossos conflitos éticos, a Ética do Reino de Deus sempre prevalecerá!

Abraços!

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Nobre pastor e amigo Carlos Roberto,

há casos em que se alguém pudesse, transferiria os sistema de capitanias e feudos para o céu.

“É hora de pararmos com isso”

Paz do Senhor!

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Prezado Tiago,

“Ninguém mais sabe o que é Assembléia de Deus. Ela se tornou em conceito subjetivado”

Suas palavras são fortes, mas expressam algumas verdades.

“Existem “pastores” que não são Pastores. E são a maioria que está no poder.”

Penso que a maioria são pastores de verdade, mas alguns precisam repensar a sua prática.

Abraços!

2 de julho de 2009
Esequiel Santos disse…
Parabéns Pr. Altair pela postagem. Relevante e inteligente!
O problema existe, com certeza. A questão é que os “caciques” não abrem mão de jeito nenhum de suas “aldeias”, mesmo que estas estejam distantes e pela lógica, outros “caciques” poderiam dá uma assistência melhor. Há muitos índios e muitos “caciques”, os índios se entendem muito bem, mas os “caciques” são vaidosos e ainda tem coragem de pregar contra vaidade, dá para entender?

Fico com as palavras do apóstolo: Importante é que o Evangelho seja pregado!”

Paz do Senhor

2 de julho de 2009
Ev. Paulo André disse…
A paz do Senhor meu pastor.

Fiquei muito antecioso sobre esse comentário. “de alguns ditadores e aiatolás da fé, como também de alguns liberais e banalizadores da fé.” Principalmente sobro os aiatolás, infelizmente, temos visto esse triste episódio, em nossa denominação, e em todos os território brasileiro, nem fazem e não querem deixar outros fazerem, mas sinto-me honrado de termos um pastor como a vossa senhoria, que tem escrevido comentário firmes.
fique na paz meu pastor.

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Nobre Ezequiel,

oro para que os nossos amados líderes, imperfeitos que são (e somos), busquem cada dia mais o entendimento mútuo.

Abraços!

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Nobre companheiro Paulo André,

é preciso ser firme, sem porém ser ofensivo.

Precisamos de mais firmeza doutrinária e moral em nossos púlpitos e igrejas.

precisamos de mais amor, misericórdia, compaixão e perdão, sem relativizar a Palavra de Deus.

Precisamos viver o Evangelho de Jesus!

Abraços!

2 de julho de 2009
Anônimo disse…
Pr. Altair, a paz do Senhor
Aqui na minha cidade e olha que não é grande, há mais ou menos 20 anos atrás tínhamos poucas igrejas, agora tem igrejas pra todo gosto, e algumas delas saíram da nossa, o pior que realmente existem tanta indiferença, convenções diversas, todas ligadas à cgadb, sem contar outras denominações que chegaram. Bom seria se fôssem unidas. Eu concordo plenamente com o Tiago Vieira. Eu não estou entendendo mais nada. Que Deus nos guarde e nos livre de todo o mal que está por vir.

2 de julho de 2009
Ebenézer disse…
Paz
Prezado irmão Altair.
Boa postagem e bom assunto abordado.

Na minha percepção sempre achei ridiculo a forma como que a visão desses campos fossem divididos, ora pois esse não foi o objetivo de expansão do evangelho, dessa forma sou obrigado a pensar que isso virou um tipo de Mercado, um mercado com varias filiais onde um não pode abrir no território do outro, é de pensamento simplório fazer esse tipo de coisa e ainda sobrepor o evangelho a isso.
Graças a Deus que isso esta mudando em alguns lugares, como por aqui onde moro por exemplo, existem mais de 4 variedades de ADs de outros campos aqui, e isso é muito bom, pelo fato de que se eu não me sinto bem em uma, tenho opção de congregar em outra, ha diversidade de igrejas mais o espirito é o mesmo, uma boa referencia.

Paz

Ebenezer

2 de julho de 2009
Elisomar disse…
“Toda casa forjada contra si mesma,
não prevalece!

2 de julho de 2009
Kleiton Álvaro disse…
Realmente esse é sempre um assunto polêmico, tanto quanto interessante.Contanto que o Reino de Deus ganhe, não há porque estabelecer áreas restritas a determinadas igrejas, ministérios ou convenções. Deveria ser respeitado apenas um limite mínimo (Ex. tantos metros…, ou coisa do tipo). Se há igrejas que não conseguem evangelizar determinada região, seria aceitável deixar vidas perecer por causa disso? Creio que não. Além do mais somos um só povo… cristãos de todos os povos, raças, tribos e nações. Que o EVANGELHO possa prevalecer a despeito de intrigas, brigas ou conveniências (ou incoveniências) eclesiásticas. Mas uma coisa é certa: “Ai daqueles por quem vem os escândalos…”

2 de julho de 2009
JOSÉ MARCOS ANTUNES disse…
Do jeito que estamos vendo as coisas acontecerem, logo,logo, Deus ira prover para nós um Lutero ( como reformador )o problema é que muitos Luteros irão se candidatar ao posto! Eu uma coisa sei, a Assembléia de Deus esta sufocada pelo desgoverno, mas o Deus da Assembléia há de bradar sobre tudo isto.

2 de julho de 2009
Matias Borba disse…
Não iria comentar aqui, pois sabe-se la´se teria respostas, mas vendo o comentário da minha irmã e amiga Mayalú resolvi fazer a mesma pergunta:O que há que o irmão não publica meus comentários?

Não sei nem entendo o motivo, sinceramente, pois se o problema são ofensas (o que talvez nem seja de fato), meus comentários não soam ofensas, difamações ou seja lá o qu for neste aspecto.

Procuro comentar o que penso de forma clara, sem esconder-me e tentando ao máximo não difamar nem ofender ninguém até mesmo em muitas vezes nem citei nomes, mesmo assim o irmão não publicou o comentário.

O que há de errado? Isso me deixa muitotriste, já mencionei por diversas vezes minha admiração por seu ministério, e por conhecê-lo e conhecer suas sinceridade fico triste por isso acontecer aqui.

Deus abençoe!

2 de julho de 2009
ALTAIR GERMANO, disse…
Prezado Matias,

qualquer comentário não publicado neste blog, não o foi por minha análise subjetiva. O fato de enviar comentários não implica em sua publicação.

Agradeço a vossa sempre importante participação e colaboração.

Abraços,

2 de julho de 2009
antonio saraiva disse…
Não briga dois quando um nãp quer. são dois homens de Deus [ orou e não vigiou]mas com tudo a obra sta crescendo.aqui,ali e mais adiante.oh gloria!….

2 de julho de 2009
JOAO A DA SILVA FILHO disse…
PREZADO, PASTOR ALTAIR GERMANO,
PAZ DO SENHOR.!

O SEGREDO É CONTINUAR FIRME ATÉ O FIM..

4 de julho de 2009
Anônimo disse…
Faço coro com o irmão Tiago Vieira : Que a geração que está crescendo seja “mais firme do que nunca” em DEUS, que ame a ELE e também ame esta Denominação que ELE levantou neste País mas, infelismente, está sendo dilapidada a cada dia. Como eu creio que “tudo é possível ao que crê”, eu creio num reavivamento de DEUS neste aspecto, esta geração mais nova, irá virar a mesa da história e, com amor e coragem, trazer de volta esta importante denominação no Reino de DEUS aqui na terra como referência de pentecostes genuinamente bíblico e de união cristã com ela mesma !

8 de julho de 2009
Blog do Zé disse…
Caro Pastor Altair, ótima sua abordagem e oportuna, pois ela abrange as AD de todo território brasileiro onde ocorre implantação de Ministerios e Convençoes. Vejo com aprovação pois ganha o reino de Deus. Por outro lado, deveria prevalecer a lei do amor nos corações dos magoados pelas supostas invasões. Mas alguns lideres chegam a incitar suas ovelhas contra outras de outras Ministerios/Conveções. Proibem frequentar outras AD e não recebem de coração aberto outras ovelhas. Ignoram totalmente o que diz o apóstolo do amor – João no seu evangelho. “Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós que também vós uns aos outros vos ameis” I Jo 13.34. Obs.Postei atrasado porque não tinha lido esta postagem antes.

8 de outubro de 2009
Pb Marcelo Carvalho disse…
Concordo plenamente !

Não se cale os profetas dessa geração !!!

13 de outubro de 2009
Pr João Laurentino disse…
O império dos homens sempre será um fracasso,só o reino de Deus permanece.
O fundamento está lançado,mas olhe como você está edificando,já dizia Paulo.

Pr.João Laurentino AD Montreal-Canadá

26 de novembro de 2009
Alisson Nascimento disse…
Parabéns pelo blog.
Congreguei durante 9 anos na AD Recife, fui na Inauguração da Sede Abreu e Lima, mas era proibido crente ir na igreja do outro (RecifexAbreu e Lima), pergunto este “muro de berlim” já caiu?
Paz.
PS – Hoje congrego na AD em Rio de Janeiro.

13 de dezembro de 2009
Josias O Protestante disse…
A paz do Senhor Jesus, Pastor Altair, estou sempre acessando seu blog, pois o senhor não joga o lixo para baixo do tapete, e isto é também sabedoria.
Em tempo; josiasoprotestante.blogspot.com

15 de dezembro de 2009
Dc. Gilmar Dayvid disse…
A paz do Senhor pastor!
Gostaria de registrar que tudo isso tem um culpado, o desejo de poder e estatus. Aqui no meu estado não é diferente. Uma enxurrada de ministerios tem se instalado. O curioso é que seus lideres dizem fazer missões, mas só abrem templos em comunidades onde há renda sustentavel. Varias cidades pobres e favelas nunca ouviram falar dessas igrejas, quando chegam nesses lugares, é porque já pesquizaram e descobriram que já existe crentes. São pescadores de aquario. Uzão a tv, pois sabem que a amioria dos telespectadores de programas evangelicos são crentes. Ai o crente houve uma palavra do pastor que não lhe agrada, ou não é reconhecido como quer, ou simplesmente e libertino em igreja consevadora, vê que na maioria desses ministérios podesse muita coisa e condecoração é rapida, saem pra lá. Aqui sempre tem uns assim, querem ser pastores a força, ter poder sobre as pessoas ou ganhar “dinheiro facio”. Não perdem a oportunidade.
Que Deus nós abençõe!

A paz do Senhor amado!

7 de janeiro de 2010

Entenda a Filosofia por Trás do Filme “Avatar”

Avatar é um termo da religião hindu e significa uma manifestação corporal de um ser imortal. Deriva do sânscrito, antigo dialeto hindu, Avatara que significa “descida”, normalmente denotando uma encarnação de Vishnu, deus hindu, (tais como Krishna), que muitos hinduístas reverenciam como divindade. Por extensão, muitos não-hindus usam o termo para denotar as encarnações de divindades em outras religiões.

O filme Avatar, de James Cameron, é um fascinante e arrebatador sucesso nos cinemas. Seus efeitos especiais são tão tremendos que transportam a audiência vividamente para um outro mundo, no qual adorar uma árvore e ter comunhão com espíritos não são apenas aceitáveis, mas atraentes. Avatar é também marcadamente panteísta e essencialmente o evangelho segundo James Cameron. Esse tema panteísta, que iguala Deus às forças e leis do Universo, é apresentado claramente pelos heróis e heroínas do filme: todos adoram Eywa, a deusa “Mãe de Tudo”, que é descrita como “uma rede de energia” que “flui através de todas as coisas viventes”.

Sobretudo, o filme é repleto de mágica ritualística, comunhão com espíritos, xamanismo, e descarada idolatria, de forma que condiciona os espectadores a acreditarem nessas mentiras do ocultismo pagão. Além disso, a platéia é levada a simpatizar com o Avatar e termina torcendo por ele quando é iniciado nos rituais pagãos. No final, até mesmo a cientista-chefe torna-se pagã, proclamando que está “com Eywa, ela é real” e que ficará com Eywa após sua morte.

Enquanto a representação fictícia de James Cameron a respeito da religião da natureza presta-se muito bem à mentira da Nova Era de que as religiões dos nativos americanos [indígenas] eram favoráveis à vida e inofensivas, a representação dos sacerdotes maias em Apocalypto (de Mel Gibson), devedores de divindades sedentas por sangue, que exigiam o sangue de suas vítimas sacrificiais, estava muito mais perto da verdade. A maneira adocicada e romântica com que James Cameron mostra os selvagens e os antigos cultos à natureza em Avatar é oposta aos fatos encontrados em antigos códices e achados arqueológicos: estes revelam que os astecas, os maias e os incas estavam todos envolvidos em sacrifícios humanos em massa, inclusive tomando a vida de criancinhas inocentes para apaziguar seus deuses demoníacos.

James Cameron diretor de Avatar

O que poucos conhecem é o histórico das obras de James Cameron em atacar o cristianismo, e especialmente a ressurreição de Cristo no documentário absolutamente desacreditado “The Lost Tomb of Jesus” [exibido no Brasil como “O Sepulcro Esquecido de Jesus” e lançado em DVD como “O Sepulcro Secreto de Jesus”], não deveria nos surpreender que ele escrevesse e dirigisse uma propaganda de 300 milhões de dólares para promover o culto à natureza e aos espíritos [filosofia de fé em ascensão nos dias de hoje]

Claramente, Hollywood tem tido uma influência persistente em arrancar os EUA [e o Ocidente] de suas raízes cristãs conservadoras e levá-los a crenças e práticas do ocultismo da Nova Era. O panteísmo atrai a turma de Hollywood porque ensina que todos somos Deus e que não precisamos nos preocupar em sermos obedientes ou em prestarmos conta diante de um Deus pessoal que criou o Universo. Entretanto, não são apenas os diretores [de cinema] que rejeitam a Cristo que estão buscando fazer com que o mundo abrace a adoração à Terra sob a máscara de sua imaginária Deusa-Mãe Terra[Gaya]; é também o próprio líder do movimento do aquecimento global, Al Gore.

Al Gore o crente-guru da nova era

Em seu livro Earth in the Balance, Gore sugere que voltemos à adoração da natureza e eleva várias seitas de adoradores da natureza e religiões dos nativos americanos ao status de modelo para nós. [Al Gore um evangélico batista diz]:

“Essa perspectiva religiosa pan(Pan: palavra de origem grega que significa “tudo, todas as coisas) poderá mostrar-se especialmente importante no que se refere à nossa responsabilidade pela terra como civilização global. (…) As religiões dos nativos americanos, por exemplo, oferecem um rico conjunto de idéias sobre nosso relacionamento com a terra. (…) Todas as coisas estão interligadas como o sangue que nos une a todos”. (Fonte: Al Gore, Earth in the Balance – Ecology and the Human Spirit [A Terra em Equilíbrio – A Ecologia e o Espírito Humano], 1992, p. 258-259).

Buscando uma síntese da Nova Era que combine várias tradições do ocultismo, Gore cita e favorece o ensinamento hinduísta, dizendo: “A Terra é nossa mãe, e nós todos somos seus filhos”.( Ibid. pag. 161). Incrivelmente, mais adiante Gore afirma que deveríamos buscar novas revelações a partir dessa adoração da deusa do passado e culpa o cristianismo pela quase total eliminação da mesma:

“O sentido espiritual de nosso lugar na natureza… pode ser traçado de volta às origens da civilização humana. Um crescente número de antropólogos e de arqueomitólogos… argumenta que a ideologia da crença prevalecente na Europa pré-histórica e em grande parte do mundo estava baseada na adoração de uma única deusa da terra, que se supunha ser a fonte de toda a vida e irradiadora de harmonia em meio a todas as coisas viventes. (…) O último vestígio de culto organizado à deusa foi eliminado pelo cristianismo. (…) Parece óbvio que um melhor entendimento de uma herança religiosa que precede a nossa própria por tantos milhares de anos poderia nos oferecer novas revelações”.(Ibid. pag. 260).

Não são apenas os diretores [de cinema] que rejeitam a Cristo que estão buscando fazer com que o mundo abrace a adoração à terra sob a máscara de sua imaginária deusa-mãe terra; É também o próprio líder do movimento do aquecimento global, Al Gore [ex-vice-presidente dos EUA].

Gore prossegue declarando que precisamos encontrar uma nova religião baseada na natureza e cita Teilhard de Chardin, o teólogo da Nova Era, em apoio à “nova fé” do futuro:

“Esse ponto foi sustentado pelo teólogo católico Teilhard de Chardin, quando ele disse: “O destino da humanidade, assim como o da religião, depende do surgimento de uma nova fé no futuro”. Munidos de tal fé, poderemos achar possível ressantificar a terra”.(Ibid. pag. 263).

Com os diretores de vanguarda de Hollywood e as figuras políticas de Washington na liderança, os EUA [e o Ocidente] estão rapidamente voltando ao paganismo que envolveu o mundo em trevas espirituais durante milênios. Que Deus nos ajude a prestar mais atenção à admoestação do apóstolo Paulo, encontrada nas Sagradas Escrituras. Ele nos ensinou que a adoração à natureza nos tempos da Antigüidade era resultado do afastamento da adoração ao único e verdadeiro Deus que, para começar, foi quem criou a natureza:

“Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém” (Rm 1.21-25)

Fonte: Pequena adaptação de Roberto Aguiar do texto, “ Avatar e a Vindoura Religião Única”, de Joe Schimmel. Publicado anteriormente na revista Chamada da Meia-Noite. http://www.chamada.com.br


Joe Schimmel é um apologista da
fé cristã e preside o ministério “Bom Combate”. Ele também é pastor sênior da Blessed Hope Chapel em Simi Valley Califórnia.

http://www.goodfight.org