Como Jesus tratou os enlutados


 

Você alguma vez já esteve num bom funeral? Você pensa que é possível descrever um funeral como “bom”? Mantenha essa possibilidade em mente enquanto damos uma olhada em 3 relatos na Escritura, onde Jesus encarou o que nós chamamos morte. Vamos considerá-los para descobrir como Jesus tratou os enlutados.

O primeiro desses relatos se encontra em S. Lucas 7, começando com o verso 11:

“Em dia subseqüente dirigia-Se Jesus a uma cidade chamada Naim, e iam com Ele os Seus discípulos e numerosa multidão.

”Como Se aproximasse da porta da cidade, eis que saía o enterro do filho único de uma viúva; e grande multidão da cidade ia com ela.

”Vendo-a, o Senhor Se compadeceu dela e lhe disse: Não chores! “Chegando-Se, tocou o esquife e, parando os que o conduziam, disse: Jovem, Eu te mando: Levanta-te.

“Sentou-se o que estivera morto e passou a falar; e Jesus o restituiu a sua mãe.

“Todos ficaram possuídos de temor, e glorificavam a Deus, dizendo: Grande profeta se levantou entre nós, e: Deus visitou o Seu povo.” Versos 11-16.

Não foi esse um bom funeral? Eu gosto dele! Ele não começou muito bem, mas terminou numa entrada triunfal de volta à vila de Naim.

Vamos tentar unir as partes dessa história um pouquinho. A vila de Naim ficava cerca de 35 a 40 quilômetros de Cafarnaum, na costa da Galiléia. A vila de Naim ficava apenas a 8 quilômetros de Nazaré. Naqueles dias, eles não tinham um caixão, a pessoa morta era enrolada em um lençol de linho e estendida em um tipo de esteira de vime.

Se a família fosse pobre havia pelo menos 2 tocadores de flauta e uma carpideira. Se a família fosse mais abastada haveria muitos tocadores de flauta e muitas carpideiras. Essa viúva era aparentemente amada pelas pessoas da cidade e quase toda a vila, uma multidão acompanhava o funeral.

Ao saírem da vila, eles encontraram uma outra grande multidão, os que estavam seguindo Jesus. Assim, você vê esses dois grupos de pessoas se encontrando no estreito trilho, no lado de fora da vila de Naim.

Uma das primeiras coisas que notamos sobre como Jesus trata os enlutados são Suas primeiras palavras a essa viúva. Ele disse: ”Não chore.” Que coisa estranha para Ele dizer. Espera-se que as pessoas chorem nos funerais. É errado chorar num funeral? Não. O próprio Jesus chorou no túmulo de Lázaro. Então o que está Ele dizendo? Ele estava dizendo que Se sentia mal por ela. Seu coração foi tocado com a tristeza que ela sentia. Ele teve compaixão dela. “Não chore.” Ele sabia que ela não precisaria chorar, pois Ele sabia o que estava por fazer.

Então Jesus fez uma coisa incomum. Aproximou-Se e tocou o esquife. Nenhum judeu faria tal coisa. Aqueles que carregavam o esquife ficaram quietos e a lamentação das carpideiras cessou.

Pode você sentir a tensão no ar? Um grupo de pessoas reunidas ao redor do esquife, esperando contra a esperança. Alguém estava presente que havia banido a doença e expulsado demônios. Estaria a morte também sujeita a Seu poder?

Com voz clara e com autoridade, as palavras foram ditas: “Jovem, Eu te mando: Levanta-te.” S. Lucas 7:14. Essa voz invade os ouvidos do morto. O jovem abre os olhos. Jesus o toma pela mão e o ergue. Seu olhar atinge a mãe, e eles se unem em um longo e feliz abraço.

A multidão olha em silêncio, como se estivessem encantados. Emudecidos e reverentes, eles se posicionam por pouco tempo, como se estivessem na própria presença de Deus. E, sem dúvida, eles estavam. Então eles começam a glorificar a Deus. Quanto você gostaria de estar lá? Esse foi um bom funeral!

A segunda experiência é relatada no quinto capítulo de S. Marcos, e dessa vez envolve uma menina. Quando uma garota de 12 anos de idade está para morrer, de algum modo isso é diferente do que para uma pessoa bem idosa, que já viveu várias dezenas de anos.

Comecemos em S. Marcos 5:22: “Eis que se chega a Ele um dos principais da sinagoga, chamado Jairo, e, vendo-O, prostra-se a Seus pés, e insistentemente Lhe suplica: Minha filhinha está à morte; vem e impõe as mãos sobre ela, para que seja salva e viverá. Jesus foi com ele. Grande multidão O seguia, comprimindo-O.” Versos 22-24.

Ao Jesus ir com esse homem a sua casa, houve uma interrupção – a mulher que Lhe tocou a roupa foi curada e elogiada por sua grande fé.

A história continua no verso 35: ”Falava Ele ainda, quando chegaram alguns da casa do chefe da sinagoga, a quem disseram: Tua filha já morreu; por que ainda incomodas o Mestre?”

Não percamos o impacto dessas palavras. Você pensa que para Jesus era algum problema levantar um morto? Você acha que isso é problema para o Doador da Vida – Aquele que criou a nós todos no princípio, Aquele que mantém nosso coração batendo corretamente agora – você acha que é qualquer problema para Ele continuar em direção à casa de Jairo?

Mas o mensageiro diz: “Não incomodes o Mestre.”

Apenas imagine você mesmo no lugar de Jesus. Você veio de uma câmara de audiência com o Todo-poderoso. Você tem a garantia de seu Pai, de que Ele operará através de você e de que todo o poder no Céu e na Terra está à sua disposição. Você pode falar uma palavra e a menina voltará à vida. Seria isso um grande problema para você, ir e acordá-la? Não! Ao contrário, seria um grande problema ficar fora disso.

Eu me lembro do funeral de um menino da escola. Todos os seus colegas de classe sabiam que ele iria morrer. A única questão era, quando? Um dia Hank dormiu, e nós tivemos um funeral lá na igreja. Todos os meninos e meninas da escola vieram e, um a um, disseram adeus a Hank.

Ao permanecer ali e observar, eu me lembro de estar imaginando como poderia ter sido nos dias de Jesus. Oh, como eu desejei que Ele entrasse ali, tomasse Hank pela mão e o acordasse! Jesus poderia ter chamado atenção para Si mesmo, mas Ele estava tão interessado em dirigir a glória para Seu Pai, que Ele poderia ir até a câmara de morte, chamar alguém de volta à vida e então desaparecer. De fato, Ele terminou dizendo: “Não conte a ninguém. ” Verso 43.

Se fôssemos aptos a fazer alguma coisa como essa, nós desejaríamos ter a certeza de que isso nos deixasse famosos. E essa é a razão por que não podemos fazê-lo. Muitos de nós não somos confiáveis para receber o poder de Deus, pois isso nos destruiria.

Bem, os mensageiros disseram: ”Não incomodes mais o Mestre.” E tão logo Jesus ouviu isso, disse a Jairo: “Não temas, crê somente.” Verso 36. É assim que Jesus tratava os enlutados. Ele falava palavras de conforto e encorajamento.

“Contudo não permitiu que alguém O acompanhasse, senão Pedro e os irmãos Tiago e João.

Chegando à casa do chefe da sinagoga, viu Jesus o alvoroço, os que choravam e os que pranteavam muito.

“Ao entrar, lhes disse: Por que estais em alvoroço e chorais? A criança não está morta, mas dorme.” Versos 37-39.

Jamais nos esqueçamos que aquilo que nós chamamos morrer Jesus chamava dormir.

“E riam-se dEle.” Verso 40. Os tocadores de flauta e as carpideiras, os vizinhos e amigos zombaram de Jesus. Eles a tinham visto estendida em sua esteira fúnebre, silenciosa e imóvel. Eles disseram: “Não tente nos dizer que ela não está morta.”

“Tendo Ele, porém, mandado sair a todos, tomou o pai e a mãe da criança e os que vieram com Ele, e entrou onde ela estava.

“Tomando-a pela mão, disse: Talita cumi. . . Menina Eu te mando, levanta-te.” Versos 40 e 41.

Instantaneamente um tremor passou inconscientemente pelo corpo dela. A pulsação vital voltou a bater. Os lábios se abriram com um sorriso. Os olhos se abriram amplamente como se tivesse acabado de acordar, e a jovem olhou maravilhada para o grupo ao seu lado.

Ela se levantou, e seus pais a ergueram nos braços e choraram de alegria. Pode você imaginar a cena?

Aquele que tratava os enlutados dessa maneira prometeu vir outra vez. Ele ainda tem o mesmo poder sobre o inimigo e sobre sua casa de prisão. Ele ainda tem o mesmo poder de acordar aqueles que dormem e confortar aqueles que pranteiam.

A terceira história de Jesus encontrando  a morte está na história de Maria, Marta e Lázaro, relatada em S. João 11. Jesus gostava de visitar o lar desses Seus amigos. Quando quer que fosse a Betânia, encontrava algum tempo para estar com eles.

Quando, porém, Lázaro adoeceu, Jesus não estava na cidade. Esta foi uma doença terrível. O médico, desde o inicio parecia preocupado. As coisas não pareciam boas. Assim, Maria e Marta enviaram um mensageiro para encontrar Jesus. Isso era um grande e difícil projeto, mas eles O encontraram, e quando Lhe contaram sobre a condição de Lázaro, Ele disse: “Essa enfermidade não é para morte.” Verso 4.

O mensageiro voltou para Betânia e disse: “Nós temos boas novas. Jesus disse que a doença de Lázaro não é para morte.” As irmãs correram para o quarto de Lázaro e disseram: “Lázaro, você não precisa se preocupar. Nós recebemos a mensagem de Jesus, você não vai morrer.”

“Verdade?” “Sim, isso é o que Ele disse ao mensageiro. Você não morrerá.” “Claro, parece isso mesmo!” E ele continuou a esperar, mas continuou a piorar. Finalmente ele entrou em coma e, então, morreu. Isto deve ter sido difícil para Maria e Marta aceitarem. Que teste para sua fé em Jesus! De onde Jesus estava, Ele disse aos Seus discípulos: “Vamos voltar agora, porque Lázaro adormeceu.” Veja verso 11.

E eles disseram: “Adormeceu?”

“Sim, ele está dormindo.”

Agora os discípulos estavam preocupados, porque tinham ouvido que o povo próximo de Jerusalém estava buscando a vida de Jesus. Havia uma armadilha contra a Sua vida, e eles imaginavam que se voltassem com Ele, eles estariam envolvidos na mesma armadilha. Atemorizados e querendo salvar a própria pele, eles disseram: “Não vamos voltar. Se Lázaro está dormindo, depois de ter estado tão doente, isso é bom. Vamos deixá-lo dormir. Ele precisa dormir. Vamos ficar aqui.” Veja versos 8 a 12.

Jesus disse: “Eu vou para despertá-lo.”

“Oh, não, não faça isso!”

E nesse ponto, Jesus, finalmente, com relutância, disse o que nós comumente dizemos. Por favor não esqueça isso. Jesus não gostava da palavra morte. Ele não chamava isso de morte. Jesus finalmente disse: “Nosso amigo Lázaro está morto.” Mas Ele preferiu chamar isso de dormir, e eu também gosto muito mais dessa palavra. Porque quando você dorme, isso não é mau. Quando você dorme, há chance de acordar. Veja verso 14.

Quando você vê um ente querido que crê em Jesus, mas que não tem muito mais tempo para viver, você pode unir-se a Jesus em dizer: “Essa doença não é para a morte.” Para o crente a morte é de somenos importância.

O tempo de pranto pode ser mudado para um tempo de alegria quando um ser amado deitou para dormir em Jesus. Nós não nos entristecemos como aqueles que não têm esperança, pois nós sabemos que aquele que está dormindo em Jesus, logo será despertado.

Ao olharmos hoje para a frente, os momentos de pranto tornam-se menos pavorosos. Nós olhamos para a frente, contemplando o momento quando Jesus virá acordar aqueles que dormem. Aqui, no meio da história de Lázaro, nós encontramos o famoso verso: “Eu Sou a ressurreição e a vida. Quem crê em Mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em Mim, não morrerá eternamente. Crês isto?” Versos 25 e 26.

Poderia eu fazer a mesma pergunta hoje? Jesus disse: “Quem vive e crê em Mim, não morrerá eternamente.” Você crê nisso? Aqueles que crêem podem ter bons funerais, embora possam chorar, pois freqüentemente choramos quando dizemos: “Adeus, até logo”, quando os amigos saem para uma grande viagem. Está certo chorar. Mas nós não choramos como aquele que não tem esperança. Veja I Tess. 4:13.

Bem, Jesus foi ao cemitério com Maria e Marta e a multidão os acompanhou. Ele subiu até a porta do túmulo, e disse: “Tirai a pedra.”

Então Marta disse: “Não, você está indo muito longe.” Jesus havia dito que Lázaro estava dormindo. Porém, ao tempo de remover a pedra, ele tinha estado dormindo por 4 dias. Ninguém poderia argumentar dessa vez se ele estava ou não morto.

Eles, porém, rolaram a pedra para fora e com a respiração suspensa observaram, enquanto Jesus fazia uma simples oração. Então Jesus ordenou: “Lázaro, vem para fora.” Verso 43.

Alguns têm dito que se Ele não tivesse mencionando especificamente Lázaro, todo o cemitério teria ressuscitado. Talvez seja verdade. Mas Lázaro saiu e foi restaurado à sua família e aos amigos. Que história!

Hoje podemos nos alegrar pelas boas novas de que aquilo que chamamos morrer é apenas dormir – e que Cristo ainda tem o poder de nos acordar do sono e dar a vida eterna. Podemos nos regozijar porque Ele ainda tem poder sobre a morte e o túmulo. Enquanto nos conforta durante nosso período de pranto, Ele nos convida a olhar para a frente, para o dia em que Ele virá outra vez e a morte será para sempre tragada em vitória.

 Morris Venden.

About these ads

One thought on “Como Jesus tratou os enlutados

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s